Evitrinne Amor à Saúde: Novembro 2014

sábado, 29 de novembro de 2014

Prato Ideal

A nossa alimentação é a base da nossa saúde: Para fornecermos todos os nutrientes necessários ao bom funcionamento do nosso organismo temos, não só evitar "alimentos" prejudiciais, como ingerir alimentos que nutram as nossas reais necessidades. 

Qualidade ou quantidade? Muitas pessoas tem dificuldade em preparar refeições saudáveis, acabando por ingerir nutrientes a menos, ou ingerir maus alimentos, mas em menor quantidade. Isto porque nem sempre focam-se na saúde, mas apenas na quantidade com o intuito de emagrecer. Relacionam baixo peso a saúde, mas não é assim que funciona e pode-nos trazer muitos danos à saúde. E como digo sempre: A beleza é uma consequência da saúde. 


As nossas escolhas devem-se basear nas nossas necessidades: 

  • Alimentos ricos em nutrientes
  • Alimentos integrais e sem glúten (arroz integral, quinoa....)
  • Alimentos ricos em água e oxigénio (legumes e verduras cruas)

Prato ideal:

  • Deve conter, pelo menos, metade de legumes crus - os alimentos crus contêm mais nutrientes e oxigénio disponibilizando mais alcalinidade ao nosso organismo.
  • Um proteína de qualidade - escolher maioritariamente peixe que funciona como anti-inflamatório (é rico em Ómega 3, uma necessidade diária do nosso organismo para equilibrar com o Ómega 6), ou ovos.
  • Hidratos de qualidade em pequena quantidade - escolher maioritariamente arroz integral ou quinoa e alguma leguminosa. Estes hidratos devem ser colocados de molho ou mesmo germinados para eliminar anti-nutrientes que possam ter e aumentar o seu valor nutritivo e alcalinização. 

Escolha uma alimentação variada. Tente escolher legumes e verduras diferentes para adquirir todos os nutrientes necessários. Compre hoje uma variedade, e amanhã outra. Quanto mais variar, mais variedade de nutrientes disponibiliza ao seu organismo.

Antes de cada refeição lembre-se de beber pelo menos um copo de água. Se tiver sede durante a refeição tente beber chá. E se acha que não costuma ficar satisfeito com uma simples refeição, comece por uma sopa de legumes, mas sem hidrato. Lembre-se que basta um hidrato por refeição, e misturar prejudica a saúde. 

Artigos Relacionados:

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Radicais Livre: o que são e os seus malefícios.

Aspecto Positivo do Radicais livres: O nosso organismo possui naturalmente radicais livres produzidos pelas células para nos proteger de vírus, bactérias e fungos que nos tentam agredir. 

Aspecto negativo: Devido à má alimentação e estilo de vida que vivemos actualmente, os radicais livre são produzidos em excesso no nosso organismo, dando origem ao que se chama stress oxidativo. 

Primeiras causas de morte: Já referi que a inflamação e oxidação são das principais causas de morte. E o excesso de radicais livres no nosso organismo leva à oxidação e inflamação do mesmo, abrindo portas às mais variadas doenças. 

Consequências dos radicais livres:

  • Envelhecimento prematuro
  • Construção de placas nas artérias
  • Hipertensão arterial
  • Doenças cardiovasculares
  • Doenças pulmonares
  • Deficiências imunitárias
  • Cataratas
  • Cancro

Factores que contribuem para o aumento excessivo de radicais livres:

  • Fumo de tabaco
  • Álcool
  • Açúcar
  • Poluição ambiental
  • Medicamentos
  • Exercício em excesso
  • Gorduras trans (gorduras consideradas más)
  • Excesso de Ómega 6

Como reparar os efeitos negativos dos radicais livres:


Artigos Relacionados:

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Curiosidades e mitos da saúde

Estamos mais doentes: É uma realidade que a população está cada vez mais doente e cada vez mais cedo. A grande causa das doenças são os nossos hábitos alimentares e estilo de vida que adoptamos: alimentos processados, sedentarismo e stress.

Indústria: Para nos dificultar mais a saúde, existe a Indústria Alimentar e Farmacêutica que nos bombardeiam diariamente com informações que vão ao encontro dos seus interesses. Somo diariamente confrontados com alimentos processados e com medicamentos para qualquer sintoma que tenhamos. 

O melhor para nós: Se nos abstrairmos de toda a informação que temos e escutarmos o nosso organismo, torna-se fácil saber o que é melhor para nós: o que a natureza nos disponibiliza. É nisso que nos devemos concentrar. 

Estudos científicos: Apresento aqui alguns mitos da saúde que nos tem sido desvendados por profissionais que se interessam realmente pela nossa saúde. Os estudos existem, mas não são acessíveis a todos, e mesmo que sejam acessíveis a muitos, as pessoas não se preocupam em lê-los porque fomos ensinados a confiar nos nossos médicos para todos os problemas de saúde, e na Indústria alimentar para escolher o que é melhor para nós. 




Artigos Relacionados: 
Colesterol: Como funciona?
Cancro: a descoberta que ganhou um Prémio Nobel e que poucos conhecem
Ovos: quantos devemos comer?
Óleo de coco: Benefícios
Osteoporose: Prevenção e tratamento. O problema do leite.
Açúcar e adoçantes: malefícios
Sal: a melhor escolha

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Quanta água devemos beber?

Necessidade de água no nosso organismo
Água no nosso organismo: Cerca de 70% do corpo humano é água. Cada célula do nosso organismo é composta por 88% de água. 

Destes dados podemos concluir que a água é a base da nossa vida e saúde. É como um peixe no aquário, se ele estiver doente, não interessa tratar dele se a água não está boa nem é suficiente, ele irá adoecer novamente. A água é, portanto, o nutriente Nº1 do nosso organismo.

A desidratação é uma das principais causas de morte. 

Existe muita polémica quanto à quantidade de água que devemos beber, isto porque, a necessidade de água varia de pessoa para pessoa, e existem várias condicionantes para o calcular. 

A necessidade de água por pessoa varia consoante:


  • Sexo
  • Idade
  • Altura
  • Estado de saúde
  • Quantidade de exercício físico
  • Nível de transpiração
  • Hábitos alimentares

A água é diariamente expelida de várias formas:

  • Transpiração
  • Urina
  • Fezes
  • Respiração

Situações que aumentam a necessidade do consumo de água:

  • Idades muito jovens ou idosos
  • Consumo de álcool ou cafeína
  • Diabetes
  • Ambientes aquecidos com ar condicionado
  • Verão 

- A OMS refere um consumo superior a 2 litros de água por dia por pessoa, aumentado a dose para o sexo masculino. Existem especialistas que recomendam mais de 3 litros, como é o caso da Dr. Katia Haranaka

- Contudo, em excesso também é prejudicial. Das minhas leituras, tenho concluído que só existe o risco de hiper-hidratação quando os rins não funcionam na sua totalidade e em quantidades superiores a 7 litros por dia. 

- Contudo, para sabermos que estamos a ingerir a quantidade certa de água, existem sinais que nos podem orientar:


Sinais visíveis de desidratação e que indicam que deve aumentar a quantidade de água: 

  • Urinar em pequenas quantidades e com cor amarela. A urina deve ser incolor (sem cor, transparente como a água) e eliminada em grandes quantidades.
  • Boca seca
  • Lábios gretados
  • Desorientação mental
  • Pele seca
  • Unhas fracas
  • Cabelos sem brilho e quebradiços

Como beber água?

  • Beba um a dois copos de água ao levantar.
  • Beba água antes de sentir sede (a sede é sinal de desidratação e isso causa danos no organismo).
  • Beba sempre água antes de qualquer refeição.
  • Tente beber água em jejum, antes ou entre refeições.
  • Não beba água gelada, isso perturba a temperatura do organismo e prejudica a produção enzimática. 
  • Beba água de forma regular ao longo do dia. 
  • Não beber mais do que meio litro por hora. O nosso organismo não vai beneficiar com mais e pode sobrecarregar os órgão. 


Tenha atenção ás necessidades do seu organismo. A hidratação é a nossa primeira necessidade porque somos constituídos sobretudo por água. Beba água, ela não só hidrata como limpa as toxinas do nosso organismo. 


Artigos Relacionados:

sábado, 22 de novembro de 2014

Viscosidade sanguínea: como evitar e tratar

A viscosidade sanguínea é uma das causas de risco cardiovascular, como a hipertensão arterial, LDL elevado e HDL baixo (níveis de colesterol), diabetes de tipo II, obesidade, tabagismo, idade e género masculino. 

No caso da mulher o risco é menor, pelo menos enquanto ela menstrua. 

Como evitar ou tratar essa viscosidade?

      • Dar sangue, permitindo:
-a renovação sanguínea, 

-menor formação de placa de aterosclerose (placa inflamatória das artérias)
  • Consumir alimentos ricos em Ómega 3 
  • Beber bastante água

Artigos Relacionados:

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Iodo: a sua importância na nossa saúde



Actualmente, grande parte da população tem deficiência de Iodo. O Natrional Health and Nutrition Examination Survey concluiu que houve uma diminuição de 50% na ingestão de Iodo nos últimos 30 anos.  

Este estilo de vida moderno está a levar-nos à falta de nutrientes, vitaminas e minerais no nosso organismo, e como consequência, ficamos sujeitos às mais variadas doenças.

Consequências da falta de Iodo:
  • Leva ao crescimento de Cistos: da mama, próstata, pâncreas, útero, ovários, estômago e tiróide. Cistos que podem originar em nódulos cancerígenos.
  • Problemas da tiróide: hipertidoidismo tipo II. 
  • Cancro da pele: uma pessoa que não transpire ao fazer esforço ou na presença de grandes temperaturas é sinal de deficiência de Iodo e um factor de risco para um futuro cancro (Dr. Lair Ribeiro)
Outras partes do organismo que necessitam de Iodo:
  • Glândulas lacrimais
  • Glóbulos brancos
  • Mucosa gástrica
  • Cérebro
  • Esófago
Outros Benefícios do Iodo:
  • Ajuda na cura de vários cancros (retira a imortalidade das células cancerígenas)
  • Suplementação de Iodo durante a gestação aumenta o QI das crianças. 
Como consumir Iodo?
O nosso organismo, na verdade, necessita de Iodo e de Iodeto. Dependendo do órgão, a necessidade varia. Há órgãos que necessitam de Iodo e outros que necessitam de Iodeto, e outros ainda que necessitam dos dois. Por isso deve-se suplementar com os dois, com uma solução chamada Lugol e que se vende nas farmácias de manipulação. 

Tiróide, pele e glândulas salivares: usam Iodeto
Mama: usa Iodo + Iodeto

Solução de Lugol recomendada Por Dr. Lair Ribeiro: 5% de Iodo + 10% de Iodeto + 25% de água destilada. Tomar 2 gotas por dia num copo de água. 

Outras fontes de Iodo:
  • Sal Integral
  • Algas (os japoneses são um povo sem deficiência de iodo devido ao alto consumo de algas).

Fontes: 

Artigos Relacionados:

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Vitaminas: hidrossolúveis e lipossolúveis

Existem dois tipos de vitaminas: hidrossolúveis e lipossolúveis. Ao sabermos distingui-las torna-se mais simples o seu consumo no dia a dia. 

Vitaminas Hidrossolúveis:

São vitaminas, solúveis da água e que o organismo não reserva, e por isso devem ser consumidas diariamente: 
  • Vitamina C (citrinos)
  • Vitaminas do complexo B (verduras, fígado, ovos)
  • Ácido Fólico (feijão, verduras, fígado, ovos)
  • Biotina (ovos, amendoim)

Vitaminas Lipossolúveis.

São vitaminas solúveis na gordura (devem ser ingeridas com gordura - gordura boa - para serem absorvidas) que o organismo consegue reservar no fígado (por vezes uma ou mais semanas) e, por isso, não necessitam de ser ingeridas diariamente, bastando ingeri-las com alguma regularidade para manter os seus níveis nas reservas:
  • Vitamina A (frutas, verduras)
  • Vitamina D (peixe, sol)
  • Vitamina E (Azeite, frutos secos)
  • Vitamina K (Espinafres, fígado)

Lembre-se que este artigo refere somente as vitaminas. O nosso organismo é composto por vitaminas, minerais, oxigénio, água, proteína, gordura e hidratos. 

Mantenha uma alimentação variada. Coma diariamente alimentos diferentes e de diferentes cores para obter todas as vitaminas que o seu organismo necessita. 
 

Artigos Relacionados:

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Açafrão da Índia: Benefícios

Nomes dados ao Açafrão da Índia: Já publiquei aqui os melhores antioxidantes do mundo pela OMS. Agora apresento o anti inflamatório Nº 1 na nossa alimentação que também é um forte antioxidante: Açafrão da Índia, também conhecido por Curcumina, Falso Açafrão ou Açafrão da Terra. 

Doenças actuais: Grande parte das doenças resultam de um processo inflamatório e oxidante, uma vez que a sociedade actual vive rodeada de stress e consome muitos alimentos inflamatórios (açúcar, hidratos refinados, glúten, leite, alimentos processados, etc.) e como tal, criam um ambiente inflamatório no organismo. É aí que surgem as doenças. Então os alimentos antioxidantes e anti inflamatórios tornam-se fundamentais no nosso dia a dia para a nossa saúde e longevidade.

Os vários estudos realizados com o Açafrão da Índia, conseguiram compará-lo aos resultados com medicamentos, mas sem os seus efeitos secundários prejudiciais.

Benefícios do Açafrão:
  • Protege contra os efeitos neurotóxicos do flúor
  • Protege-nos contra a demência
  • Tem efeitos notáveis na recuperação de pessoas com Alzheimer
  • Ajuda na prevenção de Parkinson. 
  • Ajuda na capacidade de regeneração do cérebro
  • Destrói células de cancro do esófago
  • Um dos maiores anti inflamatórios do mundo
  • Antidepressivo
  • Antitumoral - redução de células malignas
  • Ajuda na cicatrização
  • Ajuda na redução de peso, uma vez que a o excesso de gordura física é, na verdade, uma inflamação do organismo (ingestão de alimentos inflamatórios)
  • Regeneração muscular
  • Previne cataratas
  • Ajuda nos sintomas de artrite
  • Previne cancro da Próstata 
  • Bom para inflamações intestinais
  • Problemas digestivos
  • Reduz o Colesterol
  • Bom para Diabetes de Tipo II
  • Bom para a pele na construção de colagénio 
  • Tem acção anti-viral, anti-parasitas
  • Fortalece o Sistema Imunitário
  • Previne AVC`s
  • Previne tromboses
  • Previne doenças cardíacas
  • Inibe a formação de metástases no cancro da mama
  • ...

Como consumir o Açafrão da Índia:
  • Ele pode ser consumido no processo de cozedura dos alimentos ou, já no prato servido e polvilhá-lo com o Açafrão da Índia. 
  • O Açafrão da Índia deve ser consumido com pimenta preta, porque esta aumenta a sua absorção pelo organismo. Enquanto o Açafrão da Índia sozinho é absorvido cerca de 15% pelo organismo, se for juntamente com pimenta, a sua absorção aumenta para 75%. 
Crie o hábito de usar Açafrão da Índia com pimenta preta, diariamente, nas suas refeições. Um pequeno gesto com grandes benefícios. 

Faça escolhas saudáveis e viva a sua vida plenamente toda a sua vida!

Artigos Relacionados:

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Magnésio: benefícios


O magnésio é o mineral número 1 no nosso organismo: 

  • É a partir do magnésio que todos os outros minerais e vitaminas são absorvidos pelo organismo. 
  • Se temos insuficiência de magnésio, vamos ter problemas de desnutrição, uma vez que outros nutrientes não estão a ser absorvidos. 
  • Quem faz suplementação de cálcio tem obrigatoriamente de fazer com magnésio. Quem toma cálcio sem magnésio vive, em média, menos 5 a 7 anos, porque o cálcio sem o magnésio não vai para o osso e aloja-se nas artérias, na válvula cardíaca, causando AVC`s, Ataques Cardíacos, etc. O ideal, para quem toma suplementos de cálcio é tomar também, para além do magnésio, vitamina D3, vitamina A, Boro e vitamina K2. Se não tem um acompanhamento adequado é melhor adquirir o cálcio apenas pela via alimentar: verduras, algas, salsa, etc.
  • A sua importância é tão grande que, grande parte das mortes súbitas deve-se a deficiência de magnésio. 
  • Foi o magnésio que permitiu vida no nosso planeta: o nosso planeta era aneuróbico, não tinha oxigénio. E foi a partir da clorofila (acredita-se que foi a Chlorella) que permitiu o dióxido de carbono transformar-se em oxigénio, e ela consegue fazer isso devido ao magnésio que contém.  
  • O magnésio tem mais de 600 funções no nosso organismo.
  • O nosso organismo funciona graças ao magnésio.

Algumas funções do Magnésio:
  • Absorção do cálcio nos ossos (sem ele, o cálcio não vai para os ossos e acumula-se nas artérias e válvula cardíaca provocando AVC`s e ataques cardíacos)
  • Previne e regula arritmias cardíacas
  • Relaxante muscular
  • Regula a tensão arterial
  • Regula a insulina
  • Formação do ATP (transforma os alimentos em energia)
  • Previne morte súbita
  • Evita trombos
  • Antialérgico
  • anti-stress
  • Insuficiência de autodefesa geral
  • Astenia
  • Neuroses
  • Tremores
  • Cefaleias
  • Espasmos coronários 
  • Artroses
  • Artrites
  • Obstipação crónica
  • Colites
  • Disfunções Hepáticas
  • Auto-intoxicação por insuficiência digestiva
  • Disfunção da tiróide
  • Eczema
  • Psicopatias
  • Prostatismo

O que retira magnésio do nosso organismo:
  • Stress
  • Alimentos considerados ácidos para o organismo (leite, álcool, refrigerantes, açúcar, hidratos refinados)
  • Idade (o organismo necessita de mais magnésio com o avanço da idade)
  • Suor

Alimentos ricos em magnésio:

Suplementar Magnésio: o magnésio pode ser ingerido pela via de suplementos. Será o mais indicado, sobretudo, à medida que a idade avança e porque os alimentos estão mais pobres em minerais devido ao empobrecimento do solo. A má alimentação e o stress a que a maioria das pessoas estão sujeitas no dia a dia e, o consumo de álcool, exige, igualmente, a suplementação de magnésio.


Como suplementar?
Existem muitas variedades de magnésio como suplemento e, por sinal, é um suplemento de baixo custo, e acessível a todas as pessoas nas farmácias de manipulação. 

A pessoa deve tomar o que mais se ajustar ao seu organismo. Grande parte das pessoas tomam o Cloreto de Magnésio PA. O Dr. Arnoldo Veloso refere que o Magnésio Dimalato tem sido o mais bem tolerado pelo organismo e é igualmente o mais recomendado pelo Dr. Lair Ribeiro. 


Vários tipos de magnésio:
  • Cloreto de magnésio PA
  • Citrato de Magnésio (mais indicado para quem tem intestino preso)
  • Magnésio quelado (bom para intestino solto)
  • Magnésio dimalato  (ideal para quem tem problemas de coração) - tem-se verificado boa aderência a este magnésio por ser o mais tolerado pelo organismo.
  • Magnésio glicina
  • Magnésio Treonato - bom para prevenir Alzheimer
  • Sulfato de Magnésio (bom para escalda pés, para quem tem dores nos pés)

Como preparar o magnésio?
Duas colheres de magnésio para cada litro de água num recipiente de vidro. Beber entre uma a três chávenas de café por dia. 

  • Se tiver problemas ósseos ou dores de articulações poderá tomar até 3. 
  • Se não tiver problemas poderá tomar apenas 1 ou 2. 
  • O ideal será começar por uma chávena e ir aumentando aos poucos se sentir necessidade. 
  • Se der diarreia é sinal que a dose é exagerada, e então deve diminuir. 
  • Escolha a dose que mais se adapta às suas necessidades. Quanto mais idade a pessoa tiver, de mais magnésio necessitará. 
  • Se praticar exercício físico intenso ou fizer sauna as suas necessidades de magnésio são maiores, uma vez que a transpiração elimina muito magnésio. Isso justifica a morte súbita de alguns atletas de alta competição. 


O Dr. Lair Ribeiro refere que não há necessidade de tomar o magnésio de forma contínua. Pode tomar 90 dias (3 meses) e parar 30 dias (1 mês), uma vez que o organismo faz reservas de magnésio. 

Em Portugal é difícil encontrar qualquer um destes tipos de magnésio. O mais comum é Cloreto de Magnésio, mas não é PA (Para Análise), embora muitas pessoas o tomem. Pessoalmente tenho tomado Cloreto de Magnésio Nigari (é de origem japonesa) e encontra-se nas lojas de produtos naturais. 

Fontes: 
Manual de Medicina Ortomolecular de Ana Paula Ivo
Dr. Lair Ribeiro

Artigos Relacionados:
Chlorella: Porque devemos consumi-la?
Arroz Integral: Benefícios
Os melhores hidratos para a nossa saúde
Óleo de coco: Benefícios
Pré-disposição a morte súbita

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Gripe: como evitar?


A gripe, assim como qualquer doença tem origem num organismo de baixa imunidade. 

O que enfraquece a nossa imunidade?

  • Todos os alimentos inflamatórios:
    • O açúcar e adoçantes
    • O álcool
    • Alimentos industrializados
    • Leite
    • Fritos
    • Sumos (naturais (frutose) ou industrializados)
    • Hidratos de Carbono refinados e com glúten
    • Bolos, bolachas

O que fortalece a imunidade?
  • Fruta, vegetais e verduras cruas
  • Arroz integral
  • Peixe (Ómega 3)
  • Citrinos
  • Gengibre
  • Açafrão da Índia (se consumido junto com pimenta a sua absorção para de 15% para 75%)
  • Alho
  • Mel

Se já estiver gripado:
  • Canja de galinha (antibiótico natural)
  • Chá de casca de limão e gengibre. Quando servido acrescentar mel e sumo de limão. Beber bem quente logo nos primeiros sintomas e tomar várias vezes ao dia até ficar bem.
  • Ingira alimentos saudáveis, e evite o açúcar, os fritos e todos os alimentos inflamatórios, uma vez que atrasam a cura.

Outros conselhos:
  • Dormir bem e horas suficientes (8 horas no mínimo): fortalece o sistema imunitário.
  • Tomar vitamina C diariamente. Esta vitamina é hidrossolúvel, e por isso não se acumula no organismo, o excesso é eliminado pela urina. Por isso tem de ser ingerida diariamente. 
  • Tome, ao acordar, um copo de água com limão. Assim começa o dia com uma boa dose de vitamina C. 

Outras fontes de vitamina C:
  • Citrinos
  • Verduras
  • Kiwi
  • Pimentos verdes
  • Salsa
  • Alface
  • Laranja
  • Limão
  • Espargo
  • Tomate
No inverno as pessoas tendem a ficar mais paradas e comer mais e pior para combater o frio, e isso acaba por enfraquecer o sistema imunitário. Faça escolhas saudáveis e faça exercício físico regular para fortalecer o seu sistema imunitário. A gripe só visita organismos fragilizados. Fortaleça o seu!

Artigos Relacionados:
Alimentação Alcalina
Antioxidantes
Ómega 3 e Ómega 6: Quanto devemos ingerir?
Enzimas: a sua importância na nossa saúde e longevidade

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Mantras: Benefícios

Energia: Tudo o que ouvimos influencia a nossa energia, assim como o que vemos, o que comemos, o que bebemos. Tudo tem um determinado resultado no nosso estado físico e mental. 

Influência dos sons no nosso organismo: Se ouvirmos uma discussão, o nosso organismo vai reagir e ficar agitado e nervoso. Se ouvirmos uma música, dependendo da música, vai influenciar o nosso bem estar: ou ficamos sorridentes, ou ficamos tristes, ou dá-nos vontade de dançar, ou então temos vontade de desligar a música. Tudo isto porque os sons são compostos por vibrações, e a qualidade dessas vibrações vão desencadear determinadas emoções no nosso organismo, e muitas vezes nem nos apercebemos disso. E essas emoções tem consequências na nossa saúde e bem estar.





Mantras: 

Os mantras são sons que, já tendo em conta a sua influência no nosso organismo e na nossa mente, foram concebidos para melhorar o nosso estado, as nossas frequências, dependendo das nossas necessidades, uma vez que existem vários géneros de mantras. 

De uma forma muito geral, os mantras harmonizam a nossa mente e clarificam o nosso auto-conhecimento. É a partir desse auto-conhecimento que descobrimos as nossas necessidades reais, as nossas falhas, e encontrar soluções claras para o equilíbrio e harmonia na nossa vida. 

















Meditação:

Os mantras estão associados à meditação, uma vez que esta possibilita harmonizar e controlar a nossa mente e procurar igualmente o nosso auto-conhecimento. Ao meditar estamos a focar-nos na nossa respiração mesmo que a mente tenta dispersar-se. Esta disciplina de concentração, ao ser praticada diariamente, ajuda-nos a controlar a mente no dia a dia. Esse controlo acaba por tornar-se uma prática natural, deixando assim de vaguear e tropeçar diariamente nos problemas. 

Mais sobre o assunto: História dos Mantras

Artigos Relacionados:

Colesterol: como funciona?

O colesterol tem sido visto como algo terrível e uma das principais causas de AVC´s e Ataques Cardíacos. Mas não é bem assim que acontece. O colesterol não é o inimigo, ele apenas acumula-se se estiver oxidado, e fica elevado se houver outros problemas no organismo.

O colesterol alto não é um problema, ele é um alerta de outros problemas no seu organismo: O colesterol sobe quando você tem algum problema de saúde como a falta de vitamina D3 no organismo, ou hipotiroidismo. Poderá ser porque tem os triglicérios elevados. Se for o caso então deve tratar os triglicérios com vitamina B3, uma vez que estes aumentam por falta dessa vitamina. Enfim, existem várias causas para o colesterol elevado. Ele apenas fica alto para avisar que existe um problema no organismo. Ele próprio não é o problema e não precisa de medicação (Dr. Lair Ribeiro)

Medicamentos para colesterol não tratam os problemas que causaram o aumento do colesterol: Se considera ter o colesterol demasiado alto, a medicação só vai piorar a sua saúde e não traz qualquer benefício ao problema que causa o colesterol elevado. A estatina, por exemplo, baixa os níveis Coenzima Q10 no organismo, que lhe vai dar problemas de energia, problemas músculares, problemas de coração, cerebrais, etc. A morte por Ataques Cardíacos não baixou com a administração de fármacos. Os fármacos para o colesterol só são benéficos para a Indústria Farmacêutica, não para a sua saúde. 


Alimentos que aumentam o colesterol:

  • Hidratos de Carbono
  • Alimentos inflamatórios que oxidam o LDL

O que causa então a obstrução das artérias?

  • John Henry Tilden afirmou que era a inflamação nas paredes das artérias que causavam a obstrução das artérias. Ou seja, o colesterol que circula no sangue só se prende às artérias devido à inflamação das mesmas. Desta forma, a causa da obstrução da artéria é a inflamação e não o colesterol. 

  • O Dr. Dwight Lundell fez mais de 5000 cirurgias ao coração e afirma que o colesterol não é o causador dos problemas. O problema está na sua inflamação e oxidação que inibe a livre circulação do colesterol. 

  • Segundo o estudo de Framingham, o coleterol não é a causa dos ataques cardíacos. Concluiu, nos seus estudos, que 60% das pessoas que sofreram de ataque cardíaco tinham níveis de colesterol normais. 

Como tratar?

A única forma de evitar a obstrução das artérias é eliminar a inflamação e oxidação do organismo para que o colesterol circule livremente pelo sangue.

Como surgem as inflamações?

Como qualquer inflamação, ela surge de uma alimentação e estilo de vida desadequado. 

Alimentos Inflamatórios a eliminar:

  • Alimentos processados
  • Açúcar
  • Alimentos com açúcar (praticamente todos os alimentos processados tem açúcar ou adoçante)
  • Alimentos com glúten (pão, massas, farinhas em geral)
  • Hidratos de carbono refinados 
  • Álcool
  • Óleos refinados
  • Leite e derivados
  • Excesso de carne (limite-se a comer uma vez por semana)
  • Sal refinado
  • Medicamentos
Grande parte destes alimentos por não serem naturais, o nosso organismo não os processa sem causar algum tipo de dano, e o mais recorrente é a inflamação. A inflamação é das primeiras causas de morte. Um organismo inflamado, é um organismo doente e uma porta aberta a todo o género de complicações. 

O que comer?

  • Coma alimentos naturais. Tudo o que contém rótulos com mais do que um ou dois ingredientes deixa de ser natural.
  • Frutas, legumes e verduras cruas
  • Hidratos sem glúten e não refinados (arroz integral, quinoa, trigo sarraceno, amaranto)
  • Gorduras saudáveis (azeite e óleo de coco)
  • Sal Integral
  • Água
  • Peixe 

Alimentos anti-inflamatórios dos quais devemos insistir na nossa alimentação:

  • Ómega 3 (peixe)
  • Açafrão da Índia (acrescente sempre pimenta a este para a sua absorção ser maior)
  • Mirtilos e frutos vermelhos em geral
  • Citrinos (laranja, limão, tangerina, toranja)
  • Uvas
Ingira também alimentos antioxidantes para manter o organismo saudável, livre da oxidação. 

Conclusão: O colesterol não é a causa de Ataques Cardíacos nem de AVC`s. O colesterol demasiado alto é indicador de algum problema no seu organismo, e por isso não adianta baixar o colesterol com medicamentos, porque não vão eliminar o problema e ainda lhe causa outros problemas devido aos efeitos secundários do medicamento. Terá de tratar o problema de base e que podem ser vários: problemas na tiróide (falta de Iodo), falta de vitamina D ou falta de vitamina B3 caso tenha os triglicérios elevados. 

Cuide da sua saúde, alimente-se de alimentos naturais, faça exercício físico e, faça exercícios de relaxamento. Tudo o que comemos e fazemos contribui para a nossa saúde e bem estar. Caso tenha algum problema de saúde que não esteja a conseguir resolver procure um bom especialista, de preferência um nutrólogo (é diferente de nutricionista). 


Vídeos sobre Colesterol e Estatinas:
Dr. Lair Ribeiro
Dr. Lair Ribeiro I

Artigos Relacionados:
Coração: Cuide do seu