Evitrinne Amor à Saúde: Julho 2014

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Corpo de dor: a origem dos conflitos

Nursery Rhymes: Little Miss Muffett III (Paula Rego, 1989)
Quem nunca se sentiu em conflito com alguém ou uma situação sem motivo aparente, ou que depois se arrependeu porque afinal foi um impulso que surgiu do nada? Qual a origem desses episódios?

Todos nós temos um passado que definimos como memórias. Estas ajuda-nos no presente e a prevenir o futuro. É com os erros e vivências passadas que nos vamos também construindo e aperfeiçoando. Até aqui compreendemos que as memórias (mente) são um instrumento que usamos para o nosso dia a dia. 

Quando surge o problema? Quando esta memória deixa de ser um instrumento e um recurso para soluções presentes e passa a dominar o nosso presente, como se vivêssemos esse passado diariamente. Deixamos assim de viver o presente e passamos a viver repetidamente o passado.

Viver constantemente este passado acarreta mais problemas, porque ao viver o passado deixamos de viver, de construir, de criar, fixando a nossa mente em algo que não existe mais. Viver é criar e recriar... e o passado não é mais criador. Ele é o que é. Nada se pode modificar lá no passado. Só o presente é criador. 

A esse passado em que insistimos reviver chama-se corpo de dor. É algo que nos afectou e como ficou por resolver, recalcamos essa emoção e depois ela insiste em voltar ao nosso presente embora já aqui não pertença.

É importante reconhecer esse corpo de dor, reflectir e questionar-nos sobre o que sentimos, e porque o sentimos, para assim conseguirmos reconhecer o problema e deixar de o recalcar. Porque quanto mais recalcamos um problema mais o alimentamos e mais ele nos persegue. Ao dar-lhe atenção e entendê-lo como e porquê, e reconhecê-lo como algo que não pertence mais ao presente, ele começa a desvanecer-se. 

As emoções negativas não são completamente dissolvidas se não forem totalmente encaradas e vistas exactamente como aquilo que são no momento em que surgem. Caso contrário, deixam para trás resíduos de dor. (Eckhart Tolle)

É devido a este corpo de dor que entramos facilmente em conflito connosco ou com quem está ao nosso lado. Porque o corpo de dor procura sempre manifestar-se. 

Antes de entrar em conflito, respire fundo, e veja se realmente vale a pena, e se não existe outro motivo (corpo de dor passado) para a sua indignação. A ansiedade e o corpo de dor atropelam o nosso presente. Se conseguirmos perceber isso, aos poucos vamos encarando o corpo de dor e os conflitos desvanecem-se naturalmente. Porque na realidade o presente costuma ser bom... a nossa mente é que, ora está no passado, ora está no futuro, e ambos não existem. Unicamente o presente existe. Por isso viva o presente da forma que gostaria que fosse o seu passado e o seu futuro, e assim se define a sua vida :)

Artigos Relacionados: 

terça-feira, 29 de julho de 2014

Os melhores alimentos & Os piores alimentos

Existem no mundo os alimentos que nutrem e que são considerados alimentos funcionais (alimentos que agem positivamente na saúde), e existem alimentos que, para além de não nutrirem, são anti-nutritivos (o organismo para os digerir gasta muitos nutrientes, vitaminas e minerais como o cálcio e o magnésio): maus alimentos que levam ao esgotamento do nosso organismo.

Apresento aqui os melhores e os piores alimentos para a nossa saúde pela OMS:

Melhores Alimentos:
  • Leite materno
  • Ovo (cozido ou frito em óleo de coco)
  • Coco (cozinhar com óleo de coco, beber água ou leite de coco, farinha de coco, açúcar de coco)
  • Quinoa (considerado o melhor cereal do mundo pela OMS)
  • Azeite
  • Açafrão da Índia (melhor anti-inflamatório do mundo e que deve ser consumido com pimenta para aumentar a absorção)
  • Peixe (Ómega 3)
  • Outros: 




Piores Alimentos: 
  • Refrigerantes
  • Batata frita (e todos os fritos)
  • Embutidos (ex: salsichas)
  • Açúcar refinado
  • Gelados
  • Alimentos processados
  • Outros:

Faça as melhores escolhas para a sua saúde!

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Desintoxicar o Organismo

Quem nunca sentiu necessidade de desintoxicar o organismo? Existem várias formas e o fazer, mas existem coisas que realmente não podemos fazer para que a desintoxicação tenha resultados. 

Três peritos foram reunidos para definir uma lista do que não se devia ingerir para uma desintoxicação:

  • Nenhuns alimentos transformados. (Nada que venha num pacote ou que não tenha sido feito pela própria pessoa).
  • Nenhuma adição de sal.
  • Nenhuma adição de açúcar.
  • Nenhum chá ou café. 
  • Nada de trigo.
  • Nenhuma carne vermelha.
  • Nada de lacticínios.
  • Nada de álcool. 
  • Nada de sumos.
  • Apenas produtos biológicos. 

Esta lista é muito interessante, porque 90% do que contém é tudo prejudicial à nossa saúde. Por esse motivo não devem estar no plano de desintoxicação. Mas em vez de desintoxicar, porque não fazer desta alimentação "desintoxicante" um estilo de vida e apenas intoxicar uma vez ou outra?

Para mim faz mais sentido seguir estas orientações diariamente. 

Desta lista apenas ingiro:

Outras Dicas:
  • É importante beber muita água em jejum e antes das refeições essencialmente (Uma a duas vezes por semana poderá espremer umas gotas de limão no primeiro copo de água do dia). 
  • Coma fruta antes das refeições (a seguir à água).
  • Coma sopa de legumes.
  • Acompanhe a refeição sempre com metade do prato com legumes e vegetais, e a outra metade com leguminosas, arroz integral e proteína (essencialmente peixe). 

Ter uma alimentação saudável faz-nos sentir mais energéticos, menos preocupados com a saúde e com mais vitalidade. E claro, queremos um futuro sorridente! A alimentação má é um vício, apenas tem de se desabituar dela. Comece por deixar de fazer o que está mal, e aos poucos introduza o que faz bem, e depois veja os resultados...

Fonte: FULLERTON-SMITH, Jill - A Verdade sobre os Alimentos. Editorial Presença. Lisboa, 2008

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Metais Pesados: Formas de os remover do organismo

Estão nos nossos alimentos: Os metais pesados estão cada vez mais presentes no nosso dia a dia. Tudo está poluído com eles e estes vão sempre parar aos nossos alimentos. 

Doenças que causa: Algumas doenças registadas estão relacionadas com os metais pesados, como é o caso do Alzheimer, uma vez que os metais pesados alojam-se no cérebro. 

Fontes mais evidentes de contaminação por metais pesados: utensílios de alumínio (outros utensílios de metal) e atum (contém mercúrio assim como outros peixes grandes).

FORMAS DE REMOVÊ-LOS DO ORGANISMO: 
Consuma diariamente Coentros, Chlorella ou Solução de Lugol. 

  • Coentros: limpa metais pesados no geral, sobretudo o mercúrio
  • Chlorella: limpa sobretudo cádmio e mercúrio
  • Solução de Lugol: 5% de iodo, 10% de iodeto de potássio e 25% de água destilada (Dr. Lair Ribeiro). Compra-se em grande parte das farmácias. Adultos: Ingerir 2 gotas por dia num copo de água. 

Artigos Relacionados: 


quinta-feira, 24 de julho de 2014

Como tornar "Biológicos" os alimentos que tem em sua casa?


Herbicidas, pesticidas e adubos: estes são colocados nos nossos alimentos antes que cheguem à nossa mesa e, como sabemos, afectam-nos seriamente a saúde. 


O ideal é comprar biológico, mas nem sempre é possível. Então existe uma forma de limpar os produtos tóxicos (herbicidas, pesticidas...) dos seus alimentos. 

MÉTODO: Coloque 5 ml de Tintura de Iodo de 2% em cada litro de água. Mergulhe nessa água todas as frutas, legumes e vegetais que vai consumir, durante 60 minutos. 
Escolha um recipiente opaco e com uma tampa, uma vez que a Tintura de Iodo oxida com a exposição à luz. No fim passe por água limpa e já está pronto a comer. 

1L água + 5 ml Tintura de Iodo = 1h

Teste científico: Foi realizado este teste e verificou-se que a Tintura de Iodo absorve todos o químicos das frutas e legumes e estes passam para a água. 



quarta-feira, 23 de julho de 2014

Cérebro Jovem: a importância dos Frutos Silvestres

Para ter um cérebro jovem é preciso exercitá-lo, mas não só. A alimentação é fundamental para eliminar os radicais livres que o destroem, assim como prevenir e corrigir danos que aparecem com a idade. Sim, é possível. Envelhecer não é mais sinónimo de doença.

Já aqui referi que os radicais livres tiram-nos saúde. O mesmo faz ao cérebro. É aqui que entra o papel dos Frutos Silvestres.

Frutos Silvetres: comer porções generosas diárias destes frutos destrói os radicais livres que produzimos diariamente com o stress e os descuidos na alimentação. Isto porque estes frutos contêm polifenóis (combatem o envelhecimento do cérebro). 

Testes realizados: 
- foram realizados testes em humanos durante 2 anos e estes aumentarem 4,2% da capacidade cognitiva comendo diariamente uma dose de mirtilos.   

- A mesma experiência em ratos confirmou melhorias de equilíbrio e coordenação em ratos mais velhos, e nos ratos que tinham sofrido AVC os danos cerebrais foram reduzidos. 

Embora se saiba que ter uma alimentação rica em legumes e frutas previne-nos de muitas doenças, inclusive de doenças mentais, sabe-se tambéms, com estes estudos, que os frutos silvestres, sobretudo os mirtilos, tem um forte controlo sobre a juventude do nosso cérebro. 

Sugestões de consumo:
  • coma uma porção diária de frutos silvestres (2 a 3 colheres de sopa)
  • Coma muita fruta e legumes.
  • Ingira outros frutos fortes em antioxidantes (estão agrupados por grau de antioxidação):
    • Excelente: Maçã; amora silvestre; mirtilo, cereja; arando; ameixa; groselha; morango.
    • Muito Bom: Alperce; uvas pretas ou brancas; toranja vermelha; laranja; pêssego; pêra; tangerina.
    • Bom: Banana; Kiwi; manga; nectarina.
    • Razoável: Melão casca de carvalho, melancia.

Fonte: FULLERTON-SMITH, Jill - A Verdade sobre os Alimentos. Editorial Presença. Lisboa, 2008

Alimentação Alcalina

O nosso sangue tem um ph que varia entre 7.35 e 7.40. Tendo em conta que é o sangue que alimenta o nosso organismo, este deve manter-se sempre nestes valores. No entanto, a alimentação e o estilo de vida que levamos faz com que esta não seja uma realidade para todos. Grande parte das pessoas tem um ph ácido. E a idade potencia essa acidez.

Doenças e acidez: Já tenho vindo a dizer que num organismo saudável (alcalino) nenhuma doença se instala. As doenças gostam de acidez. Assim sendo, devemos ter algum equilíbrio no que ingerimos. 

O recomendado até hoje é ingerir 70% de alimentos alcalinos e 30% de alimentos ácidos. 

Alimentos que nunca devemos ingerir: Ainda assim é importante ter em conta que no grupo dos ácidos, os mais ácidos não devem sequer entrar na nossa alimentação (nem mesmo ao fim de semana), porque a factura é muito cara para a saúde. É exemplo disso o álcool, os refrigerantes, o leite, o açúcar refinado, o sal refinado, os fritos, etc. 

Alimentos ácidos que ficam alcalinos no organismo: Existem alguns alimentos, como é o caso do limão, que apesar de ser um alimento ácido, este fica alcalino depois de processado pelo organismo. Aliás, o limão é dos alimentos mais alcalinos para o nosso organismo. Pessoalmente bebo diariamente, ao acordar, um copo de água com o sumo de meio limão.


Cuide do seu organismo, que ele cuidará de si! 

terça-feira, 22 de julho de 2014

Um bom pequeno almoço: como deve ser?

Quantas vezes já nos questionamos sobre o nosso pequeno almoço? 

A mim perguntam-me muitas vezes o que comer, uma vez que não ingiro carne, nem lacticínios, nem pão (glúten), e evito ao máximo o açúcar (só em chocolate (e amargo). Se tudo isto faz-nos mal (como já referi noutras publicações), o que comer realmente? A resposta é simples: comer alimentos naturais. 


Um bom pequeno almoço:

  • Água em jejum - desintoxica o organismo e hidrata-o depois de muitas horas em repouso e sem hidratação.  
  • Fruta (evite os sumos, eles são prejudiciais: veja aqui)
  • Sopa de legumes com miso
  • Ovos cozidos ou peixe (em pequena quantidade)
  • Vegetais crus mais leves (rúcula ou agrião)
  • Aveia (a opção sem glúten) e bebida de arroz

Se não estiver disposto a tirar o pão, há pelo menos algumas escolhas menos más: 
  • escolha pão de milho (não tem glúten) ou de farinha de arroz. Mas ficará com o problema do fermento, que não é muito benéfico para a saúde, e para outros químicos que possa conter. O melhor será fazer o seu próprio pão sem glúten. 


Como é o pequeno almoço dos países onde se vive mais e com mais saúde? 
  • Japão: Sopa de miso (soja fermentada); peixe cru; ovo cru em arroz - (embora seja necessária precaução em relação aos alimentos crus porque podem conter salmonelas e outras bactérias. Prefira-os cozinhados.)  
  • China: Congee (espécie de papas de aveia) de arroz; bolos de nabo.

Notas: 
- O pequeno almoço deve ser nutritivo e não apenas para "encher". Está provado que um bom pequeno almoço dá-nos mais saúde, dá-nos longevidade e mantém-nos no peso certo. 

- Dê preferência a boas fibras e fruta no pequeno almoço. O organismo, nesse horário, encontra-se num processo de desintoxicação, e por isso não devemos incluir alimentos pesados. 

- Beba água antes do pequeno almoço para hidratar o organismo que ficou horas sem receber água (e evita confundir fome com sede). 

- Mastigue muito bem os alimentos para evitar comer mais do que realmente precisa (sacia e o organismo aproveita melhor os nutrientes).


Fonte sobre as refeições do Japão e China: A Verdade sobre os Alimentos, de Jill Fullerton-Smith. 



segunda-feira, 21 de julho de 2014

Sabe o que são alimentos transgénicos? Saiba os malefícios que podem estar na sua mesa.

Os alimentos transgénicos são alimentos geneticamente modificados, isto é, não são mais os alimentos naturais que conhecemos porque receberam uma transformação em laboratório. São alimentos que receberam os genes de outro ser vivo que, naturalmente nunca seria possível no mundo como o conhecemos. Por exemplo misturar os genes de uma planta com os genes de um animal (algo muito estranho e anti-natural). E a semente natural como a conhecemos deixa de existir. 

Para que serve e como Funciona? Tudo isto para aumentar a produção, com menos dificuldades, e claro, aumentar o lucro das grandes empresas multinacionais, como é o caso da Monsanto. O agricultor deixa de poder guardar sementes de uma ano para o outro e, é obrigado a comprar anualmente novas sementes à empresa. E não só. Estas plantas só aceitam um único insecticida e este é fabricado pela mesma empresa que vende as sementes. Assim se criam consumidores escravos daquela empresa. 

Os portugueses são o 2º país da Europa que menos conhece esta realidade e que nos leva a consumir aquilo que nos prejudica. 

- Antes demais temos de saber que os grandes produtores destes produtos são os EUA e o Brasil, embora existam outros como a China, etc.

- A Europa tem uma produção mínima, devido à luta por parte de muitos governantes em banir esse género de alimentos, mas os alimentos existem nos supermercados.

Perigos para a saúde humana:
- O grande perigo destes alimentos é que não foram estudados os seus efeitos no ser humano. E neste momento, somos cobaias para o que vier. Embora existam cientistas empenhados no assunto e já estejam a fazer o seu trabalho. Alguns estudos em animais já revelam deficiências no crescimento e casos de cancro. 

Perigos para o ambiente:
- Estes produtos devido às suas características podem matar espécies animais como as abelhas, minhocas e outros animais, essenciais ao equilíbrio da natureza, e pode mesmo matar outras espécies de plantas não modificadas geneticamente, uma vez que as plantações normais que estejam próximas destas ficam contaminadas. 

Saiba como distinguir estes alimentos, e como os evitar:
  • Os supermercados portugueses têm alimentos transgénicos: 
    • Milho (com a excepção de produtos nacionais ou de origem biológica)
    • Produtos de soja (com algumas excepções: alimentos biológicos ou outros que tem a indicação que não são transgénicos - algumas empresas tem esse cuidado).
    • Óleos alimentares (vem no rótulo com a indicação: sementes modificadas geneticamente, ou alimento transgénico).
    • Rações animais (quase todas são de alimentos de origem transgénica).
    • Todos os alimentos que tem no rótulo "vestígios de milho ou soja" e/ou "lecitina de soja" (bolachas, chocolates, cereais, etc.) poderão ser transgénicos.
    • Alguns alimentos tem a indicação de que se trata de um produto geneticamente modificados através de triângulo amarelo com um T  (igual à imagem que acompanha esta publicação), mas nem todos os produtos geneticamente modificados o tem. A informação pode não estar presente.
Nota: 
Nem todos os produtos transgénicos estão assinalados. Ter em atenção ao milho que vem do Brasil, e todos os produtos com milho e soja incorporados nos alimentos. Informe-se bem sobre o assunto. Existem outros produtos geneticamente modificados (batata, tomate, etc.) mas até à data desconheço a sua entrada em Portugal. Apenas partilho aquilo de que tenho conhecimento até ao momento. 


Fonte: 
Informe-se bem sobre o assunto para saber o que fazer e o que consumir: Afinal, qual é mesmo o "Suave veneno" dos Transgénicos?


domingo, 20 de julho de 2014

Tem Excesso de Peso? Confira 6 falsos produtos ditos saudáveis

Uma boa parte da população tem excesso de peso e, depois de tanto esforço questionam-se: porquê? 

Na verdade a resposta é simples: porque existem muitos falsos bons alimentos e que nos aparecem como saudáveis, prometendo-nos saúde. 

Verifique os 7 alimentos que estão a prejudicar o seu peso e a sua saúde:

  • Sumos de fruta naturaisPois, os sumos naturais engordam. Porquê? O problema não está na fruta (ela é saudável), o problema está no acto de fazer o sumos (espremer a fruta ou colocá-la na máquina de sumos) que destrói a molécula da fibra. Assim sendo, fica apenas com a frutose (açúcar) e engorda, sem a fibra que a ajuda a digerir e sem provocar danos.  
  • Cereais processados e Barras de cereais: Na realidade estes estão cheios de açúcar ou adoçantes e cheios de químicos. Eles são bons para nos viciar em açúcar de forma disfarçada e não tem os nutrientes essenciais. E os químicos são inflamatórios, e tudo que inflama, engorda. 
  • Pão integral: Não interessa se o pão é integral, porque grande parte do cereais tem glúten e este engorda, é inflamatório. O glúten nos cereais aumentou cerca de 400% nas últimas décadas, por isso, o pão de hoje não é o pão de há 40 anos atrás. Prefira alimentos sem glúten. 
  • Adoçante: Os adoçantes são péssimas opções para quem quer evitar o açúcar. Este produto é muito prejudicial, causa osteoporose, aumenta a probablidade de Alzheimer e vicia o nosso paladar. Dá-nos mais vontade de comer açúcar. Prefira mel ou açúcar mascavado. Mas o café é bom sem açúcar, é uma questão de habituar o paladar no inicio. Vá diminuindo a dose até não sentir necessidade de usar. 
  • Produtos Light: Os produtos light tem uma série de problemas. Tem o problema do adoçante, o excesso de químicos para que o sabor se mantenha bom, e no caso dos sumos, tem o problema da frutose, como referi acima. 
  • Lacticínios: Os lacticínios são um alimento altamente inflamatório. Muitas pessoas sofrem de retenção de líquidos, ou excesso de peso (inflamação) devido aos lacticínios. Eles são indicados para uma boa saúde, para manter um peso saudável e para prevenir a osteoporose, mas na verdade são informações que não correspondem com os dados científicos. Ver a publicação sobre o leite. 

Atenção às Refeições: O horário das refeições, a quantidade e qualidade são fundamentais para o bom funcionamento do organismo, responsável por regular o seu peso. Está provado que o pequeno almoço deve ser a melhor refeição do dia, e quem tiver este cuidado tem tendência a comer menos durante o dia e assim regular o organismo. 


  • Tome um bom pequeno almoço com fruta, ovos  cozidos, omeletas, enfim, uma refeição tão rica quanto costuma ser o seu almoço. 
  • Coma sempre de 3 em 3 horas, nem que seja uma fruta. Vai-lhe saciar e evitar picos de fome. 
  • Não espere ter fome para comer. Tente comer para se manter saciada e não para ficar cheia ou com fome. Mantenha as refeições ricas em nutrientes para nutrir o corpo e evitar a fome desregulada. O corpo só apresenta uma fome desregulada por vício ou por desnutrição (ingerir alimentos pouco nutritivos). 
  • Beba muita água antes de cada refeição (muitas vezes a fome confunde-se com sede, e bebendo vai compreender melhor a quantidade que a vai saciar). Veja a publicação que indica como ter uma boa alimentação. 

Se tem uma alimentação sem açúcar, glúten e produtos industrializados e ainda assim tem excesso de peso, verifique a sua tiróide, que pode estar com falta de iodo (umas das causas de excesso de peso). As algas são ricas em iodo. Use sal integral

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Antioxidantes

O nosso organismo sofre agressões diárias porque: 

  • Ingerimos o que não devemos 
  • não ingerimos alimentos que corrijam as nossas necessidades 
  • tomamos medicamentos
  • stress, um elemento oxidante que controla o nosso dia a dia. 
Enfim, o nosso corpo está em constante trabalho para combater essas deficiências evitando os danos do excesso de radicais livres e oxidação do nosso organismo. Um corpo oxidado é um corpo doente. 

Os radicais livres e a oxidação são responsáveis pelo envelhecimento precoce, pela baixa imunidade, e como consequência pelas várias doenças que conhecemos: infecções, inflamações, cancros, etc. 

Já sabemos que nenhuma doença permanece num organismo saudável, daí a importância do nosso estilo de vida e, como sublinho nesta publicação, dos antioxidantes, que são um aliado fundamental neste processo. 

Se o nosso dia nos oxida, temos de o combater com antioxidantes. 

Os 3 melhores antioxidantes - O Departamento de Agricultura dos EUA fez um estudo a 250 alimentos de forma a verificar a sua capacidade antioxidante e, os 3 melhores foram:
  • 1º - Cacau
  • 2º - Açaí
  • 3º - Chocolate Amargo (mínimo de 70% de cacau)

Mas ainda existem outros muito bons e que merecem destaque:
  • Mirtílos 
  • Açafrão da Índia (é bem absorvido pelo organismo quando misturado com pimenta)
  • Sementes de Chia
  • Cenoura
  • Chá verde
  • Linhaça
  • Óleo de coco
  • Azeite
  • Amoras (frutos vermelhos em geral)
  • Peixe

TIPOS DE ANTIOXIDANTES

  • Antocianidinas e proantocianidinas: 
    • Uvas (com pele e semente) e bagas
  • Bioflavanóides:
    • Citrinos
  • Curcuma:
    • Açafrão da Índia (é bem absorvido pelo organismo quando misturado com pimenta)Milho
    • Pimentos amarelos
  • Licopeno:
    • Tomate
  • Luteína:
    • frutoas e legumes
  • Zeaxantina: 
    • espinafres
    • couves
    • brócolos 
    • ervilhas

Outras recomendações:

- Evitar o stress (a meditação ajuda)

- Ingerir poucos hidratos de carbono (o suficiente para o seu dia a dia) porque se não se converter logo em energia, cola-se à célula e mata-a (envelhecimento precoce).

- Evitar ao máximo o açúcar

- Fazer diariamente exercício físico moderado 

- Comer, no mínimo, de 3 em 3 horas (evita o stress e a criação de radicais livres), nem que seja apenas uma fruta.



Fontes: 
A Bíblia da Alimentação de Patrick Holford
Dr. Lair Ribeiro

domingo, 13 de julho de 2014

Peixe em vez de carne

Experiência Pessoal: Já publiquei aqui estudos que comprovam os malefícios da carne. E posso garantir, por experiência pessoal que, desde que abdiquei da carne sinto grande melhorias na minha saúde (menos ansiedade, mais concentração, diminuição dos sintomas de TPM, etc.). 

Malefícios da carne e benefícios do peixe:
  • O peixe, ao contrário da carne, não causa os danos intestinais responsáveis por grande parte dos cancros e quase todas as doenças que conhecemos. 
  • A gordura da carne (ácidos gordos saturados - prejudiciais ao organismo) é diferente da gordura do peixe (ácidos gordos não saturados - benéficos ao organismo). 
  • Outra consideração é o facto da temperatura do peixe ser inferior à do ser humano, enquanto a temperatura da carne é superior à nossa. Desta forma, quando a carne entra no nosso organismo encontra um meio com temperatura inferior, e por isso torna-se mais insolúvel e pegajosa, estagnando-se dentro do nosso organismo, congestionando os intestinos e artérias. Tendo o peixe uma temperatura inferior à nossa é bem digerido pelo nosso organismo. 
  • O peixe é rico em Ómega 3. O Ómega 3 é um  grande anti-inflamatório e antioxidante. Veja aqui a necessidade de Ómega 3 na nossa saúde. 
  • Se for do tipo sanguíneo O, o organismo tolera melhor a carne. Ainda assim não a consuma mais do que uma vez por semana. 

Notas: 
- Mesmo sendo o peixe um alimento saudável, como qualquer alimento não deve ser consumido em excesso. 
- Tente optar por peixes mais pequenos, uma vez que não são contaminados por mercúrio. A sardinha é uma rica opção. 
- Cuidado com o peixe de carne vermelha, se expostos bastante tempo ao ar oxidam, uma vez que contém mais ferro no seu organismo. Alimentos oxidados são prejudiciais à saúde.
- Faça poucas refeições de atum uma vez que este encontra-se, actualmente, contaminado por mercúrio. 

Fonte: A Enzima Prodigiosa do Dr. Hiromi Shinya. 


terça-feira, 8 de julho de 2014

Enzimas: a sua importância na nossa saúde e longevidade

Exemplo de um casal centenário
O nosso organismo é um sistema muito complexo e muito inteligente, com a capacidade de auto-cura. E é neste processo de cura que entra o papel das enzimas. 

Existem vários tipos de enzima no nosso organismo, e cada uma serve uma determinada função nas necessidades do organismo. 

O estudo das enzimas está ainda em desenvolvimento, mas já existem dados que indicam a existência de enzimas-mãe: 

  • enzimas que esperam uma necessidade aparecer para assim adaptarem-se a essa mesma necessidade, enquanto as outras enzimas já estão pré-definidas com uma determinada função. 
  • mas as enzimas são limitadas no nosso organismo, e quando se esgotam o corpo falece. Isto justificaria as mortes súbitas inexplicáveis, por exemplo. 

O que fazer para preservar as enzimas o mais tempo possível?

Alguns povos são adeptos por natureza pela preservação das enzimas como alguns povos orientais. São povos conhecidos por terem um grande número de centenários e de boa saúde porque adoptaram uma alimentação e estilo de vida adequados:
  • Vegetais, legumes crus, ou mal cozinhados (apenas aquecidos).
  • Fruta variada e de preferência da época
  • Arroz integral
  • Cereais integrais (sobretudo sem glúten: quinoa e aveia sem glúten)
  • Peixe
  • Beber muita água durante o dia, sobretudo antes das refeições (em jejum). A água alimenta as células, alcaliniza o organismo e limpa o intestino para que as enzimas sejam absorvidas por ele.  
  • Sementes
  • Azeite
  • Ovos cozidos
  • Algas marinhas
  • Exercício físico moderado
  • Respirações profundas (umas 5 vezes por hora) limpa o organismo e estimula o ritmo cardíaco e o metabolismo. 
  • Mastigar bem os alimentos (as enzimas são mais bem aproveitadas)
  • Dormir bem (sempre que sentir necessidade durante o dia, descanse)
  • Ser disciplinado no que come e no estilo de vida

Retirar ou evitar:
  • Lacticínios, leite de vaca, queijo, iogurte e derivados.
  • Carne
  • Doces e todo o género de açúcar (sumos, etc.)
  • Alimentos industrializados
  • Alimentos refinados (brancos)
  • Gorduras e óleos refinados
  • Sal refinado
  • Glúten
  • Não tomar medicação que destrói a flora intestinal e prejudica as enzimas (só em caso de necessidade. Se a alimentação e o estilo de vida forem bons, deixará de os tomar naturalmente porque não adoecerá). 

Este artigo foi um breve resumo das dicas do Dr. Hiromi Shinya daquilo que é necessário adoptar no nosso dia a dia para termos uma vida longa e cheia de saúde.

Artigos Relacionados:
Os melhores hidratos para a nossa saúde
Alimentação Alcalina
Peixe em vez de carne

Fonte: A Enzima Prodigiosa do Dr. Hiromi Shinya. 

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Vitaminas: carências

Composição do nosso organismo: O nosso organismo é composto por oxigénio, água, minerais, vitaminas, proteína, gordura e hidratos de carbono como mostra o artigo Imunidade: um passo para a saúde ou para a doença. Como tal, precisamos de todos eles para nutrir as várias necessidades do nosso organismo para que funcione em equilíbrio. 

Recentemente li um livro de saúde de Patrick Holford, intitulado de A Bíblia da Alimentação
Este livro apresenta um capítulo dedicado a alguns sinais físicos da carência de cada vitamina, os alimentos que a contém, e ainda os alimentos ou hábitos que prejudicam a absorção de cada vitamina ou ainda que possam eliminar cada vitamina do nosso organismo. Ás informações deste livro, acrescentei outras, entretanto actualizadas, do ponto de vista científico. 

VITAMINA A

Deficiência: Úlceras na boca, visão nocturna deficiente, catarata, artrite, acne, constipações ou infecções frequentes, pele seca e escamosa, caspa, aftas ou cistite, diarreia. 

Fontes alimentares: Ovo cozido, Fígado de vaca, fígado de vitela, cenouras, batata-doce, e vegetais de folhas verde escuro.

Hábitos que a prejudicam: álcool, café e tabaco. 

ÁCIDO FÓLICO

Deficiência: Anemia, eczema, lábios gretados, branqueamento precoce do cabelo, ansiedade ou tensão, falta de memória, falta de energia, pouco apetite, dores de estômago, depressão.

Fontes alimentares: gérmen de trigo, espinafres, amendoins, brócolos, avelãs, nozes, abacate.

Hábitos que a prejudicam: alimentos industriais, pílula anticoncepcional. 

VITAMINA B1

Deficiência: músculos sensíveis, dores nos olhos, irritabilidade, dificuldades de concentração, formigueiro nas pernas, memória fraca, dores de estômago, obstipação, formigueiro nas mãos, taquicardia. 

Fontes alimentares: agriões, courgette, espargos, cogumelos, ervilhas, couve-flor, couve-de-bruxelas, feijão. 

Hábitos que a prejudicam: Antibióticos, chá, café, stress, pílula anticoncepcional, álcool, fermentos, conservantes, alimentos refinados e alimentos industrializados. 

VITAMINA B2

Deficiência: Ardor ou sensação de grãos de areia nos olhos, cataratas, sensibilidades a luzes intensas, ulcerações na língua, cabelo sem brilho ou oleoso, eczema ou dermatite, unhas quebradiças, lábios gretados.

Fontes alimentares: ovos cozidos, cogumelos, espargos, agriões, cavala, gérmen de trigo. 

Hábitos que a prejudicam: álcool, pílula anticoncepcional, chá, café, fermentos, conservantes, alimentos refinados e alimentos industrializados.

VITAMINA B12

Deficiência: Mau estado do cabelo, eczema ou dermatite, hipersensibilidade da boca ao calor ou ao frio, irritabilidade, ansiedade ou tensão, falta de energia, obstipação, músculos sensíveis ou doridos, palidez. 

Fontes alimentares: Ostras, sardinhas, atum, ovos cozido. 

Hábitos que a prejudicam: álcool, tabaco, falta de ácido gástrico. 

VITAMINA C

Deficiência: constipações frequentes, falta de energia, infecções frequentes, gengivas sensíveis ou que sangram, cicatrização lenta, pontos vermelhos na pele. 

Fontes alimentares: limão, kiwi, pimentos, laranjas, brócolos, morangos, agriões.

Hábitos que a prejudicam: álcool, tabaco, poluição, stress, fritos. 

VITAMINA E

Deficiência: Falta de apetite sexual, exaustão após exercício físico leve, cicatrização lenta, varizes, perda de tónus muscular, infertilidade, envelhecimento precoce. 

Fontes alimentares: sementes de girassol, sementes de sésamo, outras sementes, gérmen de trigo, azeite de oliva, abacate, ovo cozido. 

Hábitos que a prejudicam: cozinhar a elevada temperatura, fritos, poluição, pílulas anticoncepcionais, gorduras trans, óleos refinados, e alimentos industrializados. 

VITAMINA K2 

(vitamina fundamental na nossa saúde, num estudo desenvolvido por Weston Price)

Deficiência: calcificação da válvula cardíaca, calcificação das artérias, cáries dentárias, problemas de crescimento.

Fontes alimentares: Ovos cozidos, Fígado de vaca e vísceras em geral (uma vez por semana).

VITAMINA D3

Deficiência: vários tipos de cancro, osteoporose, tensão arterial alterada, diabetes, enfarte, depressão, doenças mentais, etc. 

Fontes: Exposição ao sol, suplementos alimentares. 
(ver mais pormenorizadamente esta vitamina no artigo: Sol: os seus benefícios e como nos proteger dos excessos.)

Mantenha-se saudável mantendo uma alimentação variada (comendo cores e alimentos diferentes no seu dia a dia) e em pequenas quantidades, de forma a ingerir todas as vitaminas necessárias para a saúde do seu organismo. O nosso organismo não necessita de quantidade, somente de qualidade. Mastigue bem os seus alimentos para que as enzimas sejam aproveitadas e evitar danos no seu organismo. Lembre-se, a nossa digestão começa na boca.