Evitrinne Amor à Saúde: Junho 2014

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Osteoporose: Prevenção e tratamento. O problema do leite.

Um dos grandes problemas da actualidade é a osteoporose. É um assunto sério e muito mal orientado. A maioria das pessoas ingere leite e derivados a pensar que estão a evitar tal problema, mas na realidade estão a acelerar o processo da osteoporose. Os malefícios do leite já foram mais do que comprovados, e a Universidade de Harvard mostrou isso recentemente. 

Os estudos comprovam que o leite retira o cálcio do organismo por ser um alimento ácido (o nosso corpo tem um ph de 7.35 a 7.45, e todos os alimentos abaixo deste ph roubam nutrientes e minerais do nosso organismo, e dois deles são o cálcio e o magnésio, fundamental para a nossa saúde em geral). Se verificarmos os países que mais consomem leite são os mesmos que mais taxas de osteoporose apresentam. Há também um estudo que comprova que, quanto maior o consumo de leite, maior a taxa de diabetes. Enfim, são bastantes os estudos sobre os malefícios do leite. 

Se reflectirmos um pouco não é difícil chegar à conclusão que o leite não só não é necessário como é mesmo prejudicial: 
  • Uma vaca adulta não toma leite, o cálcio que ela adquire é da erva. Tudo que é verde é rico em cálcio. Somos a única espécie que ainda tomam leite depois de adultos e os únicos a beber leite de outra espécie (porque a indústria assim o definiu).
  • Um bezerro demora pouco mais de um mês a ficar com o dobro do peso, enquanto um bebé humano não. O leite da vaca é demasiado forte para um ser humano. 
  • O leite é tratado na indústria convencendo as pessoas que fica bom para consumo humano. Na realidade, os componentes que lhe são acrescentados afecta-nos a saúde em grande escala. 
  • A vitamina D que tem no leite é a vitamina D2, e não é esta que fixa o cálcio nos ossos. Para o cálcio fixar no osso necessita da vitamina D3 que é fabricada no nosso organismo depois de apanharmos sol. Ou seja, a vitamina D2 que vem na embalagem não nos serve de nada. 
  • O leite tem um açúcar chamado lactose, e para o nosso organismo digerir esse açúcar necessita ter uma enzima designada de lactase, que o ser humano deixa de produzir na infância por volta dos 9 anos de idade. 
  • Outra substância prejudicial no leite é a caseína, que causa muitos problemas de saúde. Causa inflamações, pode resultar em cancro e outras doenças auto-imunes. 

Suplementos de cálcio
O cálcio ingerido em suplementos de forma isolada é completamente prejudicial. Porquê? O cálcio precisa de ser acompanhado de magnésio e de vitamina D para que seja transportado e fixo nos ossos. Se não existir estes dois como suplemento a acompanhar o cálcio, este não vai para o osso e deposita-se nos rins, calcifica as artérias e as válvulas do coração, que responderá no organismo com um AVC e/ou num ataque cardíaco. 

O QUE COMER PARA EVITAR E TRATAR A OSTEOPOROSE:
  • Em primeiro lugar tem de deixar de ingerir leite e derivados. 
  • O leite de soja também tem os mesmos problemas no que diz respeito a retirar cálcio e magnésio do organismo. A soja só é boa se for fermentada como é o caso do miso. 
  • Se necessitar de uma bebida, ingira leite de arroz, ou de amêndoa (existem outras fontes, mas cuidado com o leite de cereais, normalmente contêm glúten). 
  • Cálcio: Coma muita verdura. Todos os vegetais verde escuro contêm cálcio.
  • Magnésio: Também as folhas verdes tem muito magnésio, as algas, as sementes, os frutos secos como a noz, e o abacate. 
  • Vitamina D3: apanhe sol todos os dias entre 30 a 40 minutos por dia e coma crustáceos. 
  • Cozinhe com sal integral que contém mais de 80 minerais e que fornecem elementos essenciais, entre eles o cálcio e o magnésio. 
  • Se tiver mais de 50 anos poderá começar com os suplementos. Mas certifique-se que esses suplementos sejam quelatos, para que a sua absorção no organismo seja realizada com sucesso. 
  • Alguns medicamentos, como a pílula anti-concepcional, são factores que aceleram a osteoporose (posteriormente dedicarei um artigo a este tema).

Tenha uma boa alimentação, beba muita água e faça exercício físico (o exercício previne a osteoporose, porque fortalece os ossos e articulações). E sobretudo, mantenha-se informado e faça a sua própria pesquisa. Para além dos estudos que aqui menciono, existem muitos outros. Previna-se. A doença não se aloja num corpo saudável. 

Fontes:

domingo, 29 de junho de 2014

Sumos: um doce veneno

Na última década tem-nos chegado a informação, pelo meios de comunicação social, de que os sumos são boas fontes de vitaminas. Mas não é o caso e, pelo contrário, apresentam vários malefícios provados cientificamente. 

Não podemos negar que, desde que chegou a industrialização dos alimentos, surgiram muitas doenças até então pouco existentes, como a diabetes, o cancro, a obesidade, doenças cardiovasculares, etc., e claro, em causa estão esses alimentos, que nunca existiram antes, mas que prometem saúde. 

Os sumos de pacote ou os sumos naturais são ambos um malefício para a nossa saúde. Parece estranho, pelo menos quanto aos naturais, mas depois de uma breve explicação é fácil compreender. 

A fruta existe para ser ingerida inteira, e é muito saudável. É constituída por muitas vitaminas e nutrientes, incluindo a fibra. Mas a fruta tem uma substância chamada frutose. Todos sabemos o que é e pensamos que é saudável, mas não é bem assim. 

A frutose é um açúcar e que isolado é muito prejudicial à saúde e que causa danos no fígado como se fosse gordura e mesmo álcool. É um açúcar e engorda. A frutose para não ser prejudicial ela tem de ser acompanhada da fibra que ajuda o organismo a digerir bem a frutose. Por este motivo deve-se comer a fruta inteira, porque a fibra está na casca, na película dos gomos da laranja, na semente da uva, etc. E não adianta colocar a casca ou a semente na máquina de sumos, porque quando a fibra é triturada a sua estrutura molecular é destruída, e a fibra deixa de existir. Ela foi destruída. 

Para além destes malefícios, com a entrada dos sumos na nossa alimentação, deixamos de mastigar, e o acto simples de mastigar faz toda a diferença numa boa digestão (a digestão começa pela boca), pois permite que o cérebro seja avisado que o organismo está saciado. 

Os sumos de pacote tem o mesmo problema, e ainda é-lhes acrescentado outros: químicos, conservantes, corantes, etc., substâncias estranhas ao nosso organismo e por isso maléficas e que causarão as mais variadas doenças que já referi acima. 

Quando era criança, os produtos industrializados não eram uma epidemia como hoje, e raramente entravam em minha casa. Eles não me fizeram falta, assim como não fizeram falta às gerações anteriores. A obesidade apareceu, os casos de cancro e diabetes aumentam a cada dia, e novas doenças vão surgindo. Estamos a viver mais tempo porque a medicina vai remediando a vida, mas estamos a viver pior, cheios de problemas de saúde física e emocional. Vamos alimentar-nos bem, de forma natural, para termos uma vida longa e com saúde. 

Fonte Principal: 
Dr. Lair Ribeiro: Sumos de fruta não fazem bem à saúde.

sábado, 28 de junho de 2014

Feng Shui

Feng Shui: Feng (vento) Shui (água), é uma técnica milenar desenvolvida pelos chineses que procura a harmonia entre o ser humano e os elementos da natureza (água, terra, metal, madeira e fogo) através do equilíbrio entre Yin (passiva, feminina, nocturna, fria e escura, representada pela cor negra) e Yang (activo, masculino, diurno, quente, luminoso e representado pela cor branca), duas energias opostas entre si, mas que em equilíbrio proporcionam harmonia. 

Esta harmonia proporcionada pelo equilíbrio procurado no Feng Shui é aplicada nas mais variadas formas da vida: alimentação, saúde, trabalho, casa, decoração, família, jardins, cidades, música, etc. 

Chi: Tudo e todos somos influenciados por energias positivas e negativas. Esta prática trabalha essas energias (o Chi) de forma a conservar as forças positivas e a redireccionar as forças negativas. 

Na prática, esta técnica tem de ser realizada por um especialista. Esta pessoa tem de ter sensibilidade e/ou técnicas adequadas para sentir e visualizar as vibrações energéticas. No entanto existem pequenas informações que podemos colocar em prática no nosso dia a dia.

Algumas noções para a nossa casa:

EXTERIOR DA CASA: a nossa casa deverá ser construída num terreno que torne possível ter um jardim. O Jardim apresenta um energia mais Yang que ajuda a equilibrar a energia mais Yin da casa. 

INTERIOR DA CASA
- Deve ser organizada de forma a oferecer espaço suficiente para uma livre circulação das pessoas e que a energia flua com facilidade. 
- Evite os mobiliários de metal que atraem as energias electromagnéticas, e dê preferência a materiais naturais como a madeira. 
- Evite objectos eléctricos no quarto como a televisão e o computador. Se os tiver cubra-os com um pano preto durante a noite para neutralizar as energias magnéticas que emitem mesmo estando desligados. 

CORES:A natureza é repleta de cores, e cada uma delas tem um impacto diferente no nosso bem estar. Se a natureza influência a nossa disposição, é natural que as cores usadas nas nossas casas tenham o mesmo efeito. Em cada divisão temos a preocupação na escolha do mobiliário que melhor se adapte à sua funcionalidade, e essa mesma importância deve ser dada à escolha das cores para cada funcionalidade, tendo em conta o seu impacto nas tarefas do nosso dia a dia. 

Divisões para trabalho / estudo
Para este tipo de divisões é importante a utilização de cores que nos enalteçam a concentração, a criatividade e prosperidade. 
Cores: amarelo e tons de azul mais escuro.


Divisões de descanso e meditação
Nestas divisões procuramos energias que transmitam harmonia, tranquilidade e paz. 
Cores: Tons de azul claro, verde. 

Outras cores:
Vermelho - cuidado com o uso excessivo desta cor por ser uma cor muito forte. Pode estimular em demasia a energia e causar irritabilidade e insónia. Use-a apenas em pequenos detalhes. 
Cinza - por ser uma cor demasiado neutra e mesmo triste deverá ser usada da mesma forma que o vermelho: apenas em alguns elementos. 
Preto: apesar de ser considerada uma cor elegante, no que toca a decoração poderá ser uma cor demasiado sombria. Usá-la apenas em pequenos detalhes. 
Branco: cor da pureza, da paz e da limpeza. Boa para casas de banho e cozinhas combinada com outras cores para evitar criar ansiedade. 

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Intestino

Interior do intestino
Uma boa saúde começa pelo intestino, e como tal dedico este artigo à saúde do mesmo, com indicações que ajudam a prevenir e tratar problemas de intestino. 

Para este artigo apoio-me essencialmente no Dr. Hiromi Shinya, Médico Cirurgião especialista em Endoscopia Digestiva. Ele trata doentes cancerígenos com alimentação, evitando ao máximo a operação e o uso de medicamentos. Os seus doentes depois de curados e que continuam com a sua dieta, o cancro nunca mais se manifestou. 

A saúde do intestino está relacionada directamente com o nosso estilo de vida. Como tal, em primeiro lugar devemos começar por evitar e mesmo retirar o que está de errado no nosso estilo de vida, para depois começar a fazer o que é saudável. 

PRINCIPAIS ALIMENTOS A RETIRAR: Leite e derivados, carne, açúcar, alimentos refinados, alimentos industrializados, glúten, álcool, tabaco, drogas, óleos refinados e fritos. (fritos em óleo de coco não é tão prejudicial, uma vez que é uma gordura termogénica, mas aconselho a evitar ainda assim). 

PRINCIPAIS ALIMENTOS A CONSUMIR: muita água durante o dia, legumes e vegetais (sobretudo crus ou mal cozidos), fruta, sementes, arroz integral, leguminosas, cereais integrais, frutos secos, e peixe pequeno do mar (fresco ou congelado) e evite o peixe enlatado devido ao problema dos metais pesados

HÁBITOS SAUDÁVEIS A INCLUIR: exercício físico, meditação, respiração profunda, sono reparador. 

Um intestino com problemas: sujidade, prisão de ventre, diarreia, inflamado, causa muitos problemas como a criação de divertículos (pequenas bolsas salientes) que se pode traduzir numa Diverticulite, e ainda pode surgir uma Colite Ulcerosa ou Doença de Crohn. São tudo inflamações do intestino e que podem desencadear num cancro. 

Mantenha uma boa alimentação, e um estilo de vida saudável de forma a evitar problemas de saúde e proporcionar uma vida saudável. Lembre-se que está tudo bem até a doença aparecer. Evite isso. Viva e pense de forma saudável. 

Alimentar é diferente de nutrir. O nosso organismo necessita de nutrientes e não de alimentos apenas para encher, isentos de nutrientes. Comece por beber muita água para nutrir as células e limpar o intestino (sobretudo antes das refeições), e a seguir coma fruta (ainda antes das refeições) e aos poucos vá fazendo o resto. 

Artigos relacionados:

Vídeos:

quinta-feira, 26 de junho de 2014

O comportamento das crianças

A minha experiência profissional enquanto professora colocou-me lado a lado com a realidade que transparece no comportamento das crianças. Eu tenho o privilégio de ter experiência no ensino particular (com um só aluno), e no ensino em grupo, que me possibilita conhecer as duas perspectivas. 

As crianças em grupo tendem a revelar-se de uma forma mais livre, mas sem revelar o que sentem, embora o comportamento fale por si. No particular, as crianças sentem-se mais à vontade de falar directamente dos seus problemas. 

As crianças, quando revelam atitudes inquietantes, explosivas, são normalmente as que mais sofrem. É como um desabafo, um chamar de atenção, ou uma forma de expressarem aquilo a que são repreendidas na presença dos pais. 

É importante percebermos estes sinais para quem for professor ou pai. O diálogo entre casa/escola e ATL é fundamental. Não perguntem se o vosso filho se portou bem somente a pensar num castigo. Verifiquem o comportamento da criança para verificar o que se passa com ela. Se ela aprende mal, mostra desinteresse, ou maltrata os colegas e professores, algo se passa de mal com a criança, e grande parte das vezes o problema é em casa e por vezes os pais nem se apercebem disso. Mas poderá ser na escola também. Verifiquem se ela está a ser bem tratada pelos colegas e professores e se as aulas são um estimulo e se há bom diálogo entre a criança e a professora. 

Ter em atenção ao que a criança gosta de fazer é fundamental para haver uma junção desse interesse com o ensino, estimulando assim a criança a estudar com uma finalidade, de a desenvolver no que mais gosta. Lembrem-se de estimular a criança a dar o seu melhor e não a ter as notas que se espera dela, que cria pressão e desmotivação para a criança. Cada criança é um ser único, e ela tem de ser estimulada a conhecer-se e a dar o seu melhor. Só assim existirão bons resultados.

Caso a criança não goste de fazer nada, terá de ser estimulada a isso. É fundamental para um crescimento saudável e bom aproveitamento na escola saber o que gosta de fazer. Dê-lhe liberdade na hora de brincar. Deixe-a riscar, rasgar, sujar-se. A segurança é necessária, claro. Dê-lhe um local apenas para brincar, seguro, e dentro desse perímetro, deixe-a fazer o que lhe apetecer com vários materiais que ela possa utilizar (papel, terra, tintas, elementos da natureza, etc.), e sempre vigiada, mas sem restrições desnecessárias. Essa liberdade vai-lhe proporcionar o auto-conhecimento e aos poucos vai descobrir o que mais gosta de fazer. 

Em casa não discutam em frente aos vossos filhos, eles assimilam tudo, sofrem, e muitas vezes interpretam as discussões como sendo culpa deles. Façam actividades em família e estimulem o diálogo para habituar a criança a conversar e a desabafar com vocês. Vai sentir-se segura e poderá desabafar sempre que necessitar. 

Na escola, o professor, antes de ser professor tem de ser um ser humano, um(a) amigo(a) do aluno. A escola é uma partilha de conhecimento, é uma troca de ideias, de gostos, de estímulos. É, sobretudo, um trabalho de grupo, que estimulará tanto o aluno como o professor, e as aulas tornam-se mais interessantes e estimulantes. 

As crianças absorvem tudo com mais intensidade que os adultos. Ela será aquilo que observa. Se houver bom ambiente, bons exemplos e bons estímulos, ela crescerá de forma saudável e feliz. 

(Tudo o que escrevi aqui é um conhecimento adquirido durante a minha experiência profissional, na observação e diálogo com as crianças, pais e professores.)

Artigo relacionado:
A criança: Um ser individual

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Alimentos Funcionais: o que são e os seus benefícios

Os Alimentos Funcionais são alimentos que, para além do seu valor nutricional básico, possui princípios activos na prevenção e tratamento de doenças.

Já aqui referi a descoberta recente da epigenética ou da nutrigenética, que refere que a nossa saúde é decidida pelo nosso estilo de vida e não pelo genética. Isto é, uma pessoa pode ter um histórico familiar de uma determinada doença, mas se escolher um estilo de vida saudável e ainda escolher alimentos que respondam a essa mesma doença, essa doença não se manifesta, mantendo-se adormecida. 



ALGUNS ALIMENTOS FUNCIONAIS:
(entre eles encontram-se os considerados melhores alimentos do mundo)

Uva: este fruto tem uma substância designada de resveratrol que estimula o gene da sobrevivência, isto é, faz-nos viver mais, porque estimula as sirtuínas, os genes da longevidade. Para ter estes benefícios, as uvas devem ser ingeridas na totalidade: com casca e semente. Previne igualmente alguns tipos de cancro. 

Azeite: É considerado um dos melhores alimentos a nível mundial pela OMS. Contém ácido oléico, o conhecido ómega 9, que actua na comunicação dos neurónios, prevenindo-nos de algumas doenças mentais, como o Alzheimer, reduz o colesterol, previne-nos do cancro da mama, etc. Para adquirir estes benefícios o azeite tem de ser de boa qualidade. Quem não tiver acesso a um azeite de boa qualidade, o abacate oferece os mesmos benefícios do azeite. 

Ovo: o ovo cozido ou frito em água ou óleo de coco é considerado o 2º melhor alimento do mundo a seguir ao leite materno. Não aumenta colesterol, apenas se for frito em óleo vegetal. Benefícios: previne doenças cardíacas, baixa colesterol, previne e reverte problemas de visão, previne cataratas, é anti-inflamatório, diminui os níveis de insulina, emagrece (porque aumenta a adiponectina), trata alergias, artrite, etc. Contém muitas vitaminas e minerais essenciais. 

Óleo de coco: é também considerado um dos melhores alimentos a nível mundial, assim como o azeite e o ovo. Contém 47% de ácido laurico, mata fungos e parasitas no nosso organismo, e é uma gordura termogénica, quem está acima do peso emagrece. Ele regula o organismo. 

Quinoa: é considerado o melhor cereal do mundo. É rico em aminoácidos, em ómega 3 e 6, cálcio, fibras. Reduz o colesterol, previne doenças cardiovasculares e a hipertensão. É rico em zinco, essencial para a nossa imunidade, e não contém glúten, pelo que pode ser consumido por celíacos, embora o glúten seja um malefício para todos. É essencial contra o envelhecimento. 

Chá verde: previne e ajuda no tratamento de todos os tipos de cancro, aumenta a nossa imunidade, é rico em magnésio, é um antioxidante, estimula o gene da longevidade, assim como a uva. 

Açafrão da Índia (ou curcumina): É o melhor anti-inflamatório e antioxidante do mundo. Bom para prevenir e tratar todo o tipo de inflamações (lembrar que excesso de peso, tendinites, dores no corpo são todas formas de inflamação). Para obter melhores benefícios misturá-lo com pimenta nas refeições. 

Crucíferas: previnem o cancro da mama. São elas os bróculos, couve-flor, nabo, repolho, couve e couve de bruxelas.

Soja Fermentada: a soja é um alimento rico em antioxidantes, regula os níveis de colesterol, previne o cancro, sobretudo o da mama, é bom para retardar os efeitos da menopausa, protege-nos da diabetes, e desintoxica o nosso organismo de metais pesados. O miso foi o alimento predilecto no desastre nuclear de Chernobyl, para protecção de doenças relacionadas com as radiações assim como o foi a Chlorella. O melhor miso é constituído apenas por soja, sem outros cereais, porque tem mais proteína e tem de ter, pelo menos, 1 ano de fermentação para que tenha os efeitos desejados e retirar os malefícios da soja. Este miso tem, normalmente, cor marron. 

Alguns artigos relacionados:

terça-feira, 24 de junho de 2014

Azeite: a melhor escolha

É do nosso conhecimento que o azeite é um dos melhores alimentos do mundo pelas suas características benéficas: anti-inflamatório, previne Alzheimer, reduz o colesterol, beneficia a comunicação entre os neurónios, previne o cancro da mama, etc., essencialmente por ser rico em ómega 9 (ácido oleico).

Como já referi noutras publicações (Imunidade / Obesidade), o nosso organismo necessita de gordura, porque nós nascemos com gordura no nosso corpo. Mas necessitamos de boa gordura e não da má que nos prejudica, e uma das melhores fontes dessa mesma gordura boa é o azeite de oliva. 


CARACTERÍSTICAS DE UM BOM AZEITE: O azeite para ser benéfico para o organismo ele precisa ter algumas características essenciais: 
- prensado a frio, 
- extra-virgem, 
- tem de ser em garrafa de vidro, 
- e o vidro tem de ser escuro. 
Isto porque o azeite é sensível à luz e ao calor que o fazem oxidar e perder as suas características. 

Não usar azeite de caixa de metal uma vez que liberta metais pesados para o azeite. 

COMO CONSUMIR: o ideal é consumi-lo frio, sem aquecimento, uma vez que perde propriedades com o calor. Bom para regar saladas ou a comida já pronta. Também pode-se cozinhar com azeite, mas para fritar é melhor utilizar o óleo de coco, uma vez que este não fica trans com o calor. 

IMPORTANTE: cuidado com o azeite que, embora pareça azeite, tem no rótulo outros produtos, como soja ou milho, ainda por cima transgénicos. Isto não é azeite e não tem as características do azeite. Estes óleos são considerados gorduras prejudiciais à saúde. São anti-nutrientes. (Esta mistura de produtos numa garrafa de azeite é permitida em alguns países e ainda assim continuar a ser chamado de azeite).

Quem não tiver acesso a azeite de qualidade, poderá consumir abacate que tem as mesmas propriedades. E para cozinhar use óleo de coco. 

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Sal: a melhor escolha

Sal rosa dos Himalaias 
O sal comum nas nossas cozinhas: Desde sempre fomos habituados e acreditar que o sal faz mal. Na realidade, o sal que se utiliza habitualmente nas nossas cozinhas é composto unicamente por cloreto de sódio. Este sim, é prejudicial à nossa saúde, não só porque não tem os minerais essenciais, como, no processo de refinamento é-lhe acrescentado produtos que são prejudiciais à nossa saúde. 

Malefícios do sal refinado: Entre os malefícios do cloreto de sódio está o aumento da tensão arterial. Isto acontece porque o cloreto absorve muita água do nosso organismo, e a pressão arterial sobe. A pressão alta é uma segurança do organismo para tentar equilibrar a falta de água. 


Sal Puro: O sal, quando extraído é um produto muito rico em minerais essenciais à nossa saúde. Na sua composição estão 88 minerais, e não apenas o sódio e o cloro que entra nas nossas cozinhas. 
Por isso devemos escolher sempre sal integral para cozinhar. 

SAL A EVITAR: 
Sal marinho refinado
Sal marinho light

SAL A ESCOLHER: 
Sal Marinho Tradicional
Sal Rosa dos Himalaias (considerado um dos melhores do mundo)
Sal Cinza de Guérande 
Flor de Sal

Benefícios do sal no estado puro: O melhor de todos é o sal rosa dos Himalaias que contém todos os minerais essenciais. Este sal ajuda mesmo a baixar a pressão arterial. É frequentemente recomendado como suplemento e para baixar a pressão arterial: uma colher de café de sal dos Himalaias num copo de água pela manhã. Mas usá-lo na alimentação já é suficientemente benéfico. 

Se não for possível o sal dos Himalaias, poderá ser o cinza de Guérande, a Flor de sal, ou o Sal Marinho Tradicional que também são igualmente ricos em minerais essenciais. 

Nota: Cuidado com o sal que tem no rótulo a indicação de metais pesados como Cádmio, chumbo e mercúrio, prejudiciais à saúde como já referi numa publicação. O Sal dos Himalaias, o Sal Cinza ou o Sal Marinho Tradicional não tem metais pesados e ainda ajuda na eliminação destes do organismo. 

Fontes: 

quarta-feira, 18 de junho de 2014

O Plástico e o calor: malefícios

O plástico é um material muito usado no nosso dia a dia por ser um material barato e fácil de usar. Mas existe um grande problema que lhe está associado: xenoestrógenos. 

Xeno, vem da palavra grega que significa estrangeiro. Estrógeno está associado ao estrogénio, a hormona feminina, por lhe ser idêntica, mas não igual. Resumindo, é uma substância que não nos pertence, e como tal, se entrar no corpo humano provoca danos. 

As consequências mais comuns desta substância na mulher é o cancro, infertilidade, quistos, etc. Nos homens é o cancro da próstata (porque é uma substância essencialmente idêntica à feminina, e o cancro da próstata está associado a um declínio da testosterona e um aumento do estrogénio), e à diminuição dos espermatozóides. 

Quando é prejudicial? Esta substância entra no nosso organismo quando o plástico atinge temperaturas quentes. Quando em contacto com o calor (copos de café; água de garrafa de plástico aquecida pelo sol ou temperaturas ambientais altas, etc.) esta substância é libertada para o alimento, e do alimento entra no nosso organismo. 

Para além do cancro, outra consequência do xenoestrógeno é o excesso de peso: esta substância engorda (causa celulite e retenção de líquidos) já que é uma substância semelhante à hormona feminina. 

Recomendações: Prefira as garrafas de vidro para transportar água; beba café nas chávenas normais; e não use plásticos no micro-ondas. 

Sol: os seus benefícios e como nos proteger dos excessos

O sol é um grande aliado da nossa saúde. Nos dias de hoje temos dois problemas: protecção em demasia, ou exposição em excesso, e ambos são prejudiciais. 

Vitamina D3: O sol oferece-nos aquilo que se transformará em vitamina D3 no nosso organismo. Esta vitamina, descoberta recentemente que é uma hormona, encontra-se na grande parte dos tecidos que compõem o nosso organismo, e por isso é fundamental na prevenção e uma aliada na cura de muitas doenças: previne vários tipos de cancro (estudo realizado por William B. Grant), é importante para fixar o cálcio nos ossos (previne osteoporose), regula a pressão arterial, previne-nos de doenças auto-imunes, da diabetes, esclerose múltipla, doenças renais, fracturas, enfartes, autismo, gripe, depressão, dores musculares, obesidade, envelhecimento, insónias, cáries dentárias, Alzheimer, esquizofrenia, doenças de pele, audição, infertilidade, miopia, enxaqueca, anemia, etc. 

O dinamarquês Niels Ryberg Finsen (1860-19904) ganhou, em 1903 o Prémio Nobel da medicina com o seu trabalho sobre a importância do sol na nossa saúde.

O ideal de vitamina D3 (colecalciferol) no nosso organismo é entre 50-80 ng/ml (125-200nmol/L).
Tendo em conta que grande parte das pessoas tem deficiência desta vitamina, então estão todas expostas a estes problemas de saúde a curto/médio prazo. Assim sendo partilho aqui informações relevantes que nos ajudam a aproveitar o sol de maneira a termos saúde e evitar igualmente os excesso que nos prejudicam.  

Como aproveitar os benefícios do sol:

O ideal será aproveitarmos o sol pela manhã, bem cedo, cerca de meia hora sem protector solar, para facilitar a produção da vitamina D3. Ou então ao final da tarde. 

Esta exposição deve ser gradual, podendo começar por ser 10 minutos, e aumentar gradualmente ao longo da semana. Isto porque, se passamos o ano todo fechados no escritório ou dentro de casa, e de repente expomos o nosso corpo ao sol durante 15 dias nas férias, surgirão os danos na pele, o que poderá contribuir para o cancro. Temos de preparar a pele gradualmente para que esta não sofra danos. Esta pequena exposição solar sem protecção é benéfica na medida em que os protectores solares tem protecção UVB. Está provado que esta radiação é fundamental para o nosso organismo produzir a vitamina D3 que nos previne então do cancro. 

Desta forma, exponha-se gradualmente ao sol, em horas benéficas, de manhã cedo ou final da tarde, entre 10 a 30 minutos diários, aumentando gradualmente, alguns dias por semana. Sempre que exceder este tempo coloque um protector solar e certifique-se que ele tem protecção UVA. O UVA é o único componente que nos protege dos raios que causam cancro. Verifique no rótulo. Se não tiver, não compre, porque ficará exposto aos raios cancerígenos.

Malefícios de alguns protectores solares: 

No dia a dia temos o hábito de colocar protector solar, mesmo durante o inverno. Este hábito poderá ser um problema, sobretudo se vamos para o escritório onde não temos sol. Isto porque o protector solar tem um composto, os xenoestrógenos, que penetrando a pele ocupa o lugar do estrogénio (e por isso engorda), e como eles não são biodegradáveis na sua maioria, eles só saem do organismo quando soamos. Ainda mais, grande parte dos protectores solares tem uma substância chamada 4-metil benzilideno cânfora (4-mbc), que bloqueia a função da tiróide, aumentando a produção do estrogénio, e para além de engordarmos, ficamos propensos ao cancro

BOM PROTECTOR SOLAR: para sabermos se um protector solar é bom ele tem de ter TINOSORB como principio activo. Protege-nos dos raios UVA, não engorda, e não provoca cancro. E para a protecção UVA ser eficaz o índice de PPD tem de ser pelo menos metade do índice FPS. Verifique sempre estes pontos no rótulo antes de comprar. 

A exposição solar recomendada depende do tipo de pele. Se for uma pele muito clara, bastam 10 minutos por dia ao sol. Se for uma pele morena, entre 20 a 30 minutos. E se for uma pele negra, recomenda-se mais de uma hora. É o tempo previsto, em média, para captar a vitamina D3 sem ficar vermelho. 

Depois da exposição solar: convém ficar 2 horas sem tomar banho, para dar tempo da pele absorver de forma eficaz os raios solares e produzir a vitamina D3. Está provado que tomar banho com gel de banho após exposição solar tira os efeitos desejados. No entanto poderá ser um banho apenas com água, sem gel de banho, que não retirará o efeito. 

Fontes:




domingo, 15 de junho de 2014

Imunidade: um passo para a saúde ou para a doença

A nossa imunidade é a nossa segurança contra qualquer tipo de doença, seja uma simples gripe ou uma doença mais grave como o cancro. Quando a imunidade é baixa, as doenças aparecem. 

O nosso corpo é um sistema inteligente, ele avisa-nos quando não estamos bem. O grande problema é que somos educados a achar que qualquer problema de saúde que nos apareça, como uma simples dor de cabeça ou uma constipação, é normal. É normal para um corpo que não está com boa imunidade ou em equilíbrio. 

Sintomas Frequentes: Qualquer tipo de desconforto, alteração física ou doença é um sinal de alerta que o organismo requer ajustes: olheiras, espinhas, rugas precoces, inchaço, inflamações, tendinites, dores nas articulações, nos músculos, alterações na cor da pele, alterações nas unhas, no cabelo, etc. Estes alertas são sinais de que não estamos em equilíbrio, seja a nível físico ou psicológico. 

Constituição do nosso organismo: O nosso organismo é constituído por oxigénio, água, minerais, vitaminas, proteínas, gordura e hidratos de carbono, e precisa de todos eles para se manter saudável. Se não lhe dermos estes nutrientes o corpo começa a apresentar carências que conduzem a problemas de saúde. 

OXIGÉNIO E ÁGUA: são dos factores mais importantes para a nossa saúde. Já publiquei um estudo que confirma que as células sem oxigénio ficam cancerígenas. Devemos, por isso, respirar bem (pelo abdómen), e o ar mais puro quanto possível, pelo menos na hora de fazer exercício. 

Comer vegetais crus é fundamental para disponibilizar oxigénio às células. Coma vegetais crus em todas as suas refeições. A cozedura elimina o oxigénio. 

E uma vez que as células são constituídas por água (88%), este elemento é indispensável. Devemos beber pelo menos 3 litros de água por dia, e sobretudo em jejum de forma a limpar o intestino (o intestino é a base da nossa saúde), e beber mesmo sem sede, porque a sede significa que a água já está em falta, e devemos evitar que isso aconteça.

MINERAIS E VITAMINAS: as melhores fontes são, sem dúvida, o que a natureza nos ofereceu: fruta, legumes e vegetais variados, sementes (chia é uma das mais ricas), frutos secos, Cereais (quinoa é considerado o cereal mais rico do mundo pela OMS) e leguminosas. 

PROTEÍNA: existem várias fontes de proteína, uma vez que vegetais, leguminosas e cereais também tem proteína. Mas para quem não é vegetariano, o peixe é uma boa escolha, rico em ômega 3, essencial para a nossa saúde. O peixe deve ser do mar. Deve-se evitar o peixe de viveiro, uma vez que são alimentados com farinhas (de uma forma geral transgénicas), e não são boas fontes de ômega 3 ou outros nutrientes que procuramos no peixe. A carne deve ser evitada, pelos malefícios já estudados, acrescentando que os animais são, nos dias actuais, alimentados com alimentos transgénicos. 

GORDURA: A gordura é essencial à nossa saúde (as mulheres são 23% de gordura e os homens são 15%). Mas esta gordura é muitas vezes mal interpretada. Ou as pessoas deixam de a ingerir para evitar engordar, ou ingerem todo género de gordura por saber que precisamos dela. Há gorduras boas e gorduras más. As gorduras de origem animal, em excesso, são consideradas más, prejudicam a saúde e causam as doenças mais comuns que conhecemos (do coração, fígado, trombose, etc.), assim como os óleos vegetais, responsáveis por problemas relacionados com as artérias. 

As melhores gorduras são:

  • Azeite: a escolha certa são as gorduras boas que não só não prejudicam, mas como são essenciais na prevenção de doenças, como é o caso do azeite, extra-virgem, de baixa acidez, e em embalagem de vidro escuro (este pormenor é importante, porque o azeite em contacto com calor transforma as suas propriedades e fica uma gordura menos saudável). É mais aproveitado cru em saladas ou a regar a comida depois de feita. 
  • Óleo de coco: é outra boa fonte de gordura. Evita também doenças, e é bom para cozinhar e fritar uma vez que é resistente ao calor. Pode ser ingerido cru (até 2 colheres por dia). Os outros óleos, são todos prejudiciais à saúde, e estão comprovados os malefícios relacionados com tromboses e ataques cardíacos, acrescentando que são, na sua maioria, transgénicos. 

HIDRATOS DE CARBONO: devem ser sempre integrais, uma vez que são ricos em vitaminas e minerais. Os refinados não devem fazer parte da nossa alimentação uma vez que transformam-se em açúcar no nosso organismo, contribuído para a obesidade, diabetes e doenças de intestino. Os refinados formam uma espécie de gel que se cola ao intestino que prejudica o funcionamento do intestino, incluindo a absorção dos nutrientes. Evitar também o glúten, uma vez que tem os mesmos malefícios. Veja aqui quais os melhores hidratos para a nossa saúde. 

Para além destes bens essenciais, existem aqueles que, mesmo com boa alimentação, inibem-nos de uma boa saúde: 

  • açúcar, álcool, medicamentos e drogas de uma forma geral. 

Para o nosso organismo proteger-se destes elementos, gasta uma enorme quantidade de nutrientes essenciais ao nosso organismo, baixando o nosso sistema imunitário, causando os danos na nossa saúde: 

  • Rouba oxigénio das células (é daqui que nasce o cancro
  • Rouba hidratação
  • Elimina cálcio e magnésio, completamente indispensáveis à nossa saúde. 
São considerados os piores inimigos do organismo, e os elementos mais ácidos que podemos ingerir. A acidez, como já publiquei na publicação sobre o cancro, é a primeira causa de todas as doenças que conhecemos. Basta olharmos as pessoas que sofrem de alcoolismo, toxicodependência ou de obesidade e verificamos a sua saúde. As consequências são iguais para todos, apenas poderá variar a intensidade dos danos ou o tempo que eles demoram a aparecer, conforme o consumo de cada um. 

Oferecer ao nosso organismo tudo o que ele precisa, evitar dar-lhe o que o vai prejudicar, acrescentarmos o exercício físico e um pensamento construtivo, é o bastante para termos uma boa saúde toda a nossa vida. 

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Obesidade: como evitar ou regredir

Como dividir o prato
A obesidade é um problema cada vez mais recorrente e que pode ser evitado ou corrigido de forma simples. Mas para isso é preciso que as pessoas tenham consciência do que é a obesidade, e o que é preciso saber para a tratar ou evitar.

A genética não controla a obesidade: 

A nutrigenômica refere a forma como nos alimentamos influencia a alteração dos genes. 
Isto significa que aquilo que comemos e o nosso estilo de vida é que determinam a nossa saúde, e se continuaremos a carregar a genética ou não. Esta descoberta é um estímulo para quem pensava que estava condenado aos problemas que os nossos pais carregam. Ver Epigenética.

A obesidade é uma inflamação do organismo: 

Todos nós temos gordura no nosso organismo, ela é necessária à nossa sobrevivência. Os homens tem cerca de 15% de gordura corporal e as mulheres 23%. A gordura é uma protecção do nosso organismo, é para lá que vão as toxinas que o corpo rejeita de forma a não adoecermos. Estas toxinas, quando em excesso acabam por inflamar essa zona de gordura e é aí que começamos a aumentar de peso e a inchar cada vez mais. Um corpo com excesso de peso, é um corpo inflamado. 

Alimentos que provocam essa inflamação do organismo e que resultam na obesidade:

Alimentos industrializados: eles contém muitos conservantes, corantes, açúcar, adoçantes, um conjunto de elementos que não só não saciam a fome, como vai estimular mais o apetite. Para além que vai inflamar o organismo, levando ao excesso de peso.

Exemplos: bolachas, bolos, pão embalado, enlatados, sumos, refrigerantes, cereais processados, leite de vaca, lacticínios e derivados, fast-food, etc.

Alimentos refinados: Eles são um anti-nutriente. Não só não alimentam, como vão exigir muita energia, nutrientes e minerais do organismo para compensar essa falta de nutriente. Eles roubam-nos a saúde.

Exemplos: farinhas brancas, açúcar branco, arroz branco, massa refinada, pão branco, óleos, etc.

Glúten: Foram realizados estudos que comprovam que este inibe a absorção de alguns micronutrientes essenciais ao metabolismo, aumentando assim a percentagem de gordura corporal. Foi verificado, da mesma forma, um aumento da retenção de líquidos. 

Leite de vaca e derivados: estudos demonstram a relação do leite com a obesidade. Já publiquei um estudo da Universidade de Harvard que refere mais malefícios do leite de vaca e seus derivados.

Carne: inflama e é a causa de muitas doenças.  


O QUE COMER: 

ÁGUA: 88% das nossas células são constituídas por água. Se não bebermos água elas desidratam, envelhecem, inflamam, e engordamos. A água limpa o organismo. É a primeira medida para limpar o organismo dos erros alimentares. beba sempre antes das refeições, porque a fome é muitas vezes confundida com a sede, porque as duas são representadas no cérebro muito próximas uma da outra. 

FRUTA, LEGUMES E VEGETAIS: A natureza deu-nos tudo o que devemos comer, e é isso que devemos fazer. Comer coisas naturais, saídas da terra é o mais saudável que existe e é isso que nos nutre e nos dá vida. Faça estufados, saladas, grelhados de vegetais, e coma legumes e vegetais crus todos dias. Varie. Coma frutas de todas as cores. As diferentes cores nutrem as várias necessidades do nosso organismo. 

SOPA: Faça sopas e tome-as quando tiver fome. Pequeno-almoço, e grande refeições. Ferva água num tacho com vários legumes e vegetais, tempere com um pouco de sal e rale. Pode fazer com 3 a 5 legumes de uma só vez: cenoura, cebola, couve, abóbora, feijão, etc.

PEIXE: Prefira o peixe à carne. Alimenta-nos com Ômega 3 que nutre as nossas necessidades e é um aliado contra a obesidade. 

OVOS: São muito nutritivos, saciam e são uma boa fonte de vitaminas. Mas tem de ser cozidos em água para não fazer mal. Coma todos os dias. 

CEREAIS: Coma cereais naturais (integrais) sobretudo aveia sem glúten. Sacia e nutre. Bom para pequenos almoços. 

LEGUMINOSAS: São muito nutritivas e saciam. Coma uma ou duas colheres de feijão nas refeições, grão de bico, ervilhas, lentilhas, etc. 

ARROZ OU MASSA INTEGRAL: cozinhe arroz integral, não engorda, faz bem, nutre e sacia. cozinhe-o com bastantes temperos, caril, açafrão (anti inflamatório), malagueta, etc., para dar sabor e ficar satisfeito. 

SEMENTES E FRUTOS SECOS: São muito nutritivos, naturais, e tiram a fome. As nozes são boas fontes de magnésio, essencial à desinflamação do organismo. 

AZEITE: É muito nutritivo, e combate a obesidade. O nosso corpo precisa de gordura, mas de gorduras boas. Cozinhe e tempere os legumes com azeite. 

ÓLEO DE COCO: É muito nutritivo e ajuda no combate à obesidade. Duas colheres por dia faz bem. Substitui os óleos para cozinhar e fritar. É uma gordura boa. 

MEL: É uma fonte de muitos nutrientes e sacia a fome. Um bom substituto de compotas ou recheios. 

CHOCOLATE PRETO: É um bom aliado para os momentos de maior ansiedade por algo doce.


COMO COMER: Tome um bom pequeno-almoço para evitar os picos de fome durante o dia. Coma fruta, ovos cozidos, sopa, cereais integrais. Depois coma de 3 em 3 horas, e beba muita água antes de cada refeição. Mastigue muito bem antes de engolir (20 a 30 vezes). Vai-se sentir mais saciado e vai evitar a compulsão por comer mais. Inspire-se pelo prato representado na imagem. 

IMPORTANTE: 
- Não deixe de comer. Mantenha-se acompanhada por um nutricionista para avaliar o seu estado e controlar o processo. 
- Um corpo sem todos os nutrientes necessários para viver, fica doente. Faça uma boa nutrição e os resultados aparecem naturalmente. 
- Seja paciente e ocupe-se com actividades que gosta de fazer para se distrair. Leia um livro, caminhe, escreva sobre o que lhe apetecer. 
- Ande sempre com água consigo. Hidrate-se mesmo sem vontade para limpar o organismo.
- Faça caminhadas, mesmo dentro de casa. Em casa tente fazer as suas tarefas de pé. Quando estiver a ver TV, veja de pé, e a movimentar as pernas e braços. Mova-se e tenha um dia saudável. Um dia de cada vez, e os resultados aparecem de forma saudável. 
- Não emagreça mais do que 10 a 12 kg por ano. Isto porque a gordura é um depósito de toxinas e se emagrecer de repente poderá ficar doente. É por isso que muitas pessoas que emagrecem de repente ficam pálidas e doentes. 

Deixe de fazer o que estava errado, e comece a fazer o que é correcto. Faça disto um novo estilo de vida. Renasça :)